Desenvolvimento rural e questão agrária: reflexões sobre o território da Mata Sul de Pernambuco

Palavras-chave: desenvolvimento, resistência, organização social

Resumo

O desenvolvimento das forças produtivas no campo brasileiro está atrelado às relações sociais e com a natureza estabelecidas para fincar os projetos para a agricultura brasileira sob os interesses das diversas categorias envolvidas, promovendo conflitos inevitáveis.  Este trabalho tem como objetivo analisar e discutir a relação entre a modernização da agricultura e a questão agrária brasileiras, e quais as influencias desses processos na realidade do Território da Mata Sul de Pernambuco. Os dados foram levantados através de uma revisão integrativa e a seleção dos estudos foi feita a partir do resumo, palavras-chave e título, e aqueles selecionados foram analisados com base na pergunta geradora desta pesquisa. Também foram realizadas entrevistas com informantes-chave, os quais são representantes de seguimentos no Território da Mata Sul de Pernambuco. A realidade do território estudado é uma síntese de processos históricos existentes no meio rural para desenvolver um projeto de modernização da agricultura com raízes em conflitos da questão agrária, ainda muito atual no Brasil, atrelada ao latifúndio, à monocultura da cana-de-açúcar e à exploração do trabalho e trabalhadores.

Biografia do Autor

Ana Cristina Oliveira de Almeida, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutoranda Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial (Departamento de Educação) 

Horasa Maria Lima da Silva Andrade, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutora em Etnobiologia e Conservação da Natureza e professora na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco - UFAPE

Luciano Pires de Andrade

Doutor em Etnobiologia e Conservação da Natureza e professora na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco - UFAPE

Referências

BARROS, A.P.; SILVEIRA, K.A. A produção do espaço rural-urbano e seus rebatimentos nos conflitos socioambientais na área de SUAPE, Pernambuco – Brasil. CADERNOS CERU, série 2, v. 21, n. 1, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-45192010000100009 . Acesso em: nov. 2021.

BELTRÃO, S.L.L. et al. Ações de comunicação para a convivência com o Semiárido brasileiro. 1ª ed, Brasília: Embrapa, 2017. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/161337/1/Acoes-comunicacao-semiarido.pdf. Acesso em: nov. 2021.

BOITO JUNIOR, A. A democracia em pedaços. 2020. Disponível em: https://aterraeredonda.com.br/a-democracia-em-pedacos/?doing_wp_cron=1638842101.5551769733428955078125. Acesso em: dez 2021.

BOITO JUNIOR, A.; BERRINGER, T. Brasil: classes sociais, neodesenvolvimentismo e política externa nos governos Lula e Dilma. Revista de Sociologia Política, Curitiba, v. 21, n. 47, p. 31-38, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-44782013000300004. Acesso em: nov. 2021.

BOTELHO, L.L.R.; CUNHA, C.C.A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, v.5, n. 11, p.121-136, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.21171/ges.v5i11.1220. Acesso em: dez. 2021.

CARTER, M. Desigualdade social, democracia e reforma agrária. In.: STEDILE, J.P. Experiências históricas de reforma agrária no mundo. São Paulo: Expressão Popular, 2020, p. 29-40.

CHAVES, P.R. “Fala Parente!” “Fala Comadre!” “Fala Vizinho!” “Fala Irmão!” – Resistência Camponesa, Indígena e Quilombola em tempos de pandemia da COVID-19. In.: COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. Conflitos no Campo – Brasil 2020. Goiânia (GO): Centro de Documentação Dom Tomás Balduíno, 2021, p. 24-38. Disponível em: https://www.cptnacional.org.br/downlods/category/41-conflitos-no-campo-brasil-publicacao Acesso em: ago. 2021.

COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. Conflitos no Campo – Brasil 2020. Goiânia (GO): Centro de Documentação Dom Tomás Balduíno, 2021. p. 25-99. Disponível em: https://www.cptnacional.org.br/downlods/category/41-conflitos-no-campo-brasil-publicacao. Acesso em: ago. 2021.

DELGADO, G. Questão agrária hoje. In.: TEIXEIRA, G.; GOMES JUNIOR, N.N. Questão Agrária e desigualdades no Brasil. Revista Reforma Agrária, ABRA ano 35, v.1, n.2, p. 27-40, 2014. https://www.ippri.unesp.br/Modulos/Noticias/247/revista_abra_35_vol1-e-2.pdf#page=23

GODOY, M.M. Civilizações da cana-de-açúcar dois paradigmas de atividades agroaçucareiras no novo mundo, séculos XVI a XIX. História econômica & História de empresas x. 2, p. 7-62, 2007. https://doi.org/10.29182/hehe.v10i2.79

HEREDIA, B.; PALMEIRA, M.; LEITE, S.P. Sociedade e Economia do “Agronegócio” no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 25, n. 74, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-69092010000300010 . Acesso em: nov. 2021.

JUNIOR, J.F.S. Território Mata Sul Pernambucana. Agência Embrapa de Informação Tecnológica. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/territorio_mata_sul_pernambucana/arvore/CONT000fbz2ztdo02wx5eo0sawqe3sgi0t02.html . Acesso em: set. 2021

LOPES, L.G.R.; CARVALHO, D.B. Dinâmica Temporal do Assentamento e os Projetos de Vida da Juventude Rural. RESR, Piracicaba, v. 53, n. 04, p. 571-588, 2015. Disponível em: http://10.1590/1234-56781806-9479005304001 . Acesso em: nov. 2021.

LOPES, R.C.; SILVA, R.N.F. Uso de lógica booleana na triagem de áreas aptas para a implantação de aterro sanitário no Município de Campina Verde, Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 7, n. 16, p. 487-499, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.21438/rbgas(2020)071603. Acesso em: jun. 2022.

MANÇANO, B. Questão agrária e capitalismo agrário: o debate paradigmático de modelos de desenvolvimento para o campo. In.: TEIXEIRA, G.; GOMES JUNIOR, N.N. Questão Agrária e desigualdades no Brasil. Revista Reforma Agrária, ano 35, v.1, n.2, p. 41-53, 2014. Disponível em: https://www.ippri.unesp.br/Modulos/Noticias/247/revista_abra_35_vol1-e-2.pdf#page=37 . Acesso em: set. 2021.

MARTINS, J.S. Os camponeses e a política no Brasil. Petrópolis: Editora Vozes, cap.1, p. 21-102, 1981.

MDA - Ministério do Desenvolvimento Agrário. Perfil territorial: Mata Sul. Brasília: MDA/SDT/CGMA, mai. 2015. Disponível em: http://sit.mda.gov.br/download/caderno/caderno_territorial_054_Mata%20Sul%20-%20PE.pdf. Acesso em: set 2021.

MEDEIROS, L.S.; PEREIRA, M.C.B. A sociedade de risco no contexto agrário: expansão do agronegócio e resistências agroecológicas em Pernambuco. Brazilian Journal of Agroecology and Sustainability, v. 1, n. 1, 2019. Disponível em: http://10.52719/bjas.v0i0.2286. Acesso em: nov.2021.

MELLO, J. Estratégias de superação da pobreza no Brasil e impactos no meio rural. Rio de Janeiro: IPEA, cap.1, p. 27 - 44, 2018. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/8826. Acesso em: nov. 2021.

MOLINA, M. G. Introducción a la Agroecologia. Cuadernos Técnicos SEAE, p. 55-60, 2011.

OLIVEIRA, M. F., MENDES, L., & VAN HERK VASCONCELOS, A. C. Desafios à permanência do jovem no meio rural: um estudo de casos em Piracicaba-SP e Uberlândia-MG. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 59, n. 2, e222727, 2021. Disponível em: http://10.1590/1806-9479.2021.222727 . Acesso em: nov. 2021.

OLIVEIRA, G.P. Interligações territoriais: poder público e a participação política no meio rural. Geo UERJ, [S.l.], v. 1, n. 24, p. 371-386, ago. 2013. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/geouerj/article/view/4578/5034. Acesso em: set. 2021

PALMEIRA, M. Modernização, Estado e Questão Agrária. Estudos Avançados, v. 3, n. 7, p. 87-108, 1989. Disponível em: http://10.1590/S0103-40141989000300006 . Acesso em: set 2021.

PÉREZ, M.S.; GONÇALVES, C.U. Desenvolvimento e conflito territorial - primeiras reflexões sobre as comunidades atingidas pelo Complexo Industrial Portuário de Suape-PE, Brasil. Revista de Geografia (UFPE) v. 29, n. 2, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229050/23451 . Acesso em: nov. 2021.

SÍGOLO, V. M. Usina Catende silenciada: reflexões sobre a crise da luta por autogestão dos trabalhadores da cana em Pernambuco. In: ARAÚJO, F.S. et al (org.). Dialética da autogestão em empresas recuperadas por trabalhadores no Brasil. Marília: Lutas Anticapital, 2019, p. 235-288.

SILIPRANDI, E. Mulheres agricultoras e a construção dos movimentos agroecológicos no Brasil. In.: NEVES, D.P.; MEDEIROS, L.S. (org.) Mulheres camponesas: trabalho produtivo e engajamentos políticos. Niterói: Alternativa, p. 329-343, 2013.

SILVA, F. A. R.; PARREIRA JÚNIOR, W.M.; PAVAN, C.A.G. A Voz do Campo: uma Experiência unindo Educação e Tecnologia no Meio Rural. V Congresso Brasileiro de Informática na Educação, 2016. Disponível em: http://10.5753/cbie.wcbie.2016.791. Acesso em: out. 2021.

STEDILE, J. P. O debate tradicional 1500-1960. In.: STEDILE, J. P. (org.) A Questão Agrária no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2005, p. 15-31.

SOUZA, M.T.; SILVA, M.D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Revista Einstein, v. 8, p. 102-6, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1679-45082010RW1134. Acesso em: dez. 2021.

TÁBOAS, I.M. É luta! feminismo camponês popular e enfrentamento à violência. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018, 186 p.

VIDAL, D.L. Fator Trabalho no Manejo Rural no Semiárido Nordestino, Brasil. Arch. Zootec., v. 60, n. 232, p. 1137-1148, 2011. Disponível em: https://scielo.isciii.es/pdf/azoo/v60n232/art29.pdf. Acesso em: nov. 2021.

VIEIRA, F. B. Lutas camponesas na escala internacional: um estudo sobre a Via Campesina. Revista NERA, ano 15, n. 20, p. 58-82, 2012. https://doi.org/10.47946/rnera.v0i20.1865

WANDERLEY, M.N.B. O campesinato brasileiro: uma história de resistência. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 52, p. 25-44, 2014. Disponível em: http://10.1590/S0103-20032014000600002. Acesso em: nov. 2021.

Publicado
2022-07-25
Como Citar
ALMEIDA, A. C. O. DE; SILVA ANDRADE, H. M. L. DA; PIRES DE ANDRADE, L. Desenvolvimento rural e questão agrária: reflexões sobre o território da Mata Sul de Pernambuco. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 16, n. 30, p. 215 - 233, 25 jul. 2022.