Potencialidades do ensino de história Ibérica a partir do estudo da conquista do Reino de Córdoba por Fernando III entre 1236-1241: objeto de aprendizagem digital

Palavras-chave: Fernando III, História Ibérica, Objeto de Aprendizagem

Resumo

Neste artigo são apresentadas algumas informações e reflexões teórico-metodológicas concernentes ao desenvolvimento do objeto de aprendizagem (OA) em elaboração como um dos resultados da pesquisa de Pós-Graduação, ora intitulada “Potencialidades do Ensino de História Ibérica a partir do estudo da conquista do reino de Córdoba por Fernando III entre 1236-1241”. O texto organiza-se fundamentalmente, em dois momentos: primeiro, uma reflexão acerca dos usos, possibilidades e tensões da tecnologia na educação, especialmente, a partir dos OAs. Na sequência, apresenta-se uma descrição com caráter mais técnico a respeito do OA desenvolvido, caracterizando seus elementos mais fundamentais destacados na primeira parte do texto.

Biografia do Autor

Saymon da Silva Siqueira, Universidade Federal de Alfenas

Mestrando do Programa de Pós-graduação em História Ibérica da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG)

Adailson José Rui, Universidade Federal de Alfenas/ Professor Adjunto de História Medieval

Possui graduação em história pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1991), mestrado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1996) e doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). Atualmente é professor adjunto de história medieval da Universidade Federal de Alfenas e Coordenador do Programa de Pós-Graduação- Mestrado Profissional em História Ibérica. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Ibérica, atuando principalmente nos seguintes temas: Idade Média, Castela, Religião, Reconquista e Conquista da América.

Referências

ALMEIDA, Néri de Barros. Um destino em crise. A inserção social e institucional dos estudos de História Medieval. Revista Chilena de Estudios Medievales, n. 11, p. 92-114, 2017;

BARRIO, Juan Antonio Barrio. El concepto de frontera en la Edad Media: La frontera meridional del reino de Valencia. Siglos XIII-XV. Sharq Al-Andalus: Estudios mudéjares y moriscos, Alicante, n. 20, p. 41-65, 2011.

BITTENCOURT, Circe Fernandes. Reflexões sobre o ensino de História. Estud. av., São Paulo, v. 32, n. 93, pág. 127-149, agosto de 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142018000200127&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 18 de janeiro de 2022.

BRAGA, J. C. (Org.), Objetos de aprendizagem, volume 1: introdução e fundamentos. Santo André: Editora da UFABC, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acesso: 18 jan. 2022.

BULEGON, A. M. ; MUSSOI, E. M. ; TAROUCO, L. M. R. . eXe Learning: uma ferramenta de autoria para o ensino e aprendizagem. In: Salão de Ensino, 2010, Porto Alegre. Salão de Ensino 2010. UFRGS, 2010).

CAIMI, Flávia Eloisa. Por que os alunos (não) aprendem História? Reflexões sobre ensino, aprendizagem e formação de professores de História. Tempo, v. 11, p. 17-32, 2006.

CHAMOCHO CANTUDO, Miguel Ángel. Los fueros de los reinos de Andalucía: de Fernando III a los Reyes Católicos. Madrid: Agencia Estatal Boletín Oficial del Estado, 2017.

CHRONICA REGUM CASTELLAE. Introdução, tradução, notas e índices de Luis Charlo Brea. Cadiz: Universidad de Cadiz, 1984.

ESTADO DE SÃO PAULO. Currículo paulista: Etapa Ensino Médio. 2020. Disponível em: https://efape.educacao.sp.gov.br/curriculopaulista/. Acesso dia 18 de janeiro de 2022.

FERNÁNDEZ-SORDO, Álvaro Solano. La ideología del reino de Asturias a través de sus crónicas. Boletín de Letras del Real Instituto de Estudios Asturianos, v. 63, n. 173, p. 109-158, 2009.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. Uma arqueologia das Ciências Humanas [1966]. Trad. António Ramos Rosas. Lisboa: Edições 70, 2005.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. Similibus simile cognoscitur: O pensamento analógico medieval. Medievalista. Online, n. 14, 2013.

FRANCO, Aléxia Pádua; ABREU, Marcelo Santos de. O PNLD, a História e a Geografia: o declínio de uma política pública. O Estado de São Paulo, São Paulo, 14 jan. 2022. Gestão, Política & Sociedade, Disponível em: https://politica.estadao.com.br/blogs/gestao-politica-e-sociedade/o-pnld-a-historia-e-a-geografia-o-declinio-de-uma-politica-publica/. Acesso em: 18 jan. 2022.

GONZÁLEZ JIMÉNEZ, Manuel. ¿Qué es Andalucía? Una revisión histórica desde el medievalismo. Boletín de la Real Academia Sevillana de Buenas Letras: Minervae Baeticae, 38, 13-33., 2010.

HAN, Byung-Chul. Psicopolítica: O neoliberalismo e as novas técnicas de poder. Belo Horizonte: Âyiné, 2020, p.69.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/Puc-RJ, 2006.

MENÉNDEZ PIDAL, R (Ed.). Primera Crónica General. Madrid: Gredos, 1955.

MONTEIRO, Ana Mª Ferreira da C.; PENNA, Fernando de Araújo. Ensino de História: saberes em lugar de fronteira. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 191-211, 2011.

NARODOWSKI, Mariano. Comenius e a educação. Autêntica, 2001.

PAVANATI, Iandra. Ensino de História, educação, tecnologia e cibercultura. Simpósio Nacional de História, v. 25, p. 227-232, 2009.

REPKIN, V. V. Ensino desenvolvente e atividade de estudo. Ensino Em Re-Vista, v.21, n.1, p.85-99, jan./jun. 2014.

RÍOS SALOMA, Martín F. De la Restauración a la Reconquista: la construcción de un mito nacional (una revisión historiográfica: siglos XVI-XIX). En la España medieval, v. 28, p. 379-414, 2005.

SANTOS, Dominique. Apresentação ao Dossiê ‘A Escrita da História na Antiguidade’’. Revista de Teoria da História, ano 7, n. 13, p. 7-18, 2015, p. 7.

SANTOS, Pedro Afonso Cristovão dos; NICODEMO, Thiago Lima; PEREIRA, Mateus Henrique de Faria. Historiografias periféricas em perspectiva global ou transnacional: eurocentrismo em questão. Estud. hist. (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 30, n. 60, p. 161-186, abril de 2017, p. 167.

STENGERS, Isabelle. No tempo das catástrofes. Trad. Eloísa Araújo. São Paulo: Cosac & Naify, 2015.

Publicado
2022-07-25
Como Citar
SIQUEIRA, S. DA S.; RUI, A. J. Potencialidades do ensino de história Ibérica a partir do estudo da conquista do Reino de Córdoba por Fernando III entre 1236-1241: objeto de aprendizagem digital. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 16, n. 30, p. 74 - 89, 25 jul. 2022.