Fontes Medievais no ensino de História

reflexões sobre o medievo em uma escola do campo na Vila do Abraão, Ilha Grande, Rio de Janeiro

Palavras-chave: educação no campo, ensino de história, medievalidades

Resumo

O presente trabalho é uma reflexão acerca das possibilidades de ensino de história, em especial o período compreendido como Idade Média, na Escola Estadual Brigadeiro Nóbrega, localizada na Vila do Abraão, na Ilha Grande, no Estado do Rio de Janeiro. Partindo de observações críticas à atual Base Curricular do estado do Rio Janeiro, procuro repensar os conteúdos e práticas de ensino destacando que a referida unidade escolar é considerada escola do campo, isto é, uma modalidade em que se valoriza os espaços da floresta, da pecuária, das minas e da agricultura, assim como os pesqueiros, caiçaras, ribeirinhos e extrativistas. Nesse sentido, questionar as temáticas tradicionais sobre o ensino do medievo é um esforço teórico-metodológico para repensar o contexto europeu em escolas com identidades próprias.

Biografia do Autor

Guilherme Antunes Junior, UFRJ

Doutor (IFCS)

 

Referências

ADAMS, Cristina. As populações caiçaras e o mito do bom selvagem. Revista de Antropolo-gia, n.º 1, v. 43, São Paulo, 2000.

BRASIL. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispões sobre a Política Nacional de Educação do Campo e sobre o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Diário Oficial da União, Brasília, 5 nov. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7352.htm.

CHINER GIMENO, J. J., GALIANA CHACÓN, J.P. Del Consolat de mar al Libro llamado Consulado de mar: aproximación histórica. In: Libro llamado Consulado de mar (Valencia, 1539). Edición y estudio de Jaime J. Chiner Gimeno y Juan P. Galiana Chacón. Valencia: Cá-mara Oficial de Comercio, Industria y Navegación de Valencia, 2003, p. 7-42

COMMELIN, P. Mitologia Grega e Romana. São Paulo. Martins Fontes, 1993.

FONT RIUS, J. M.; SAAVEDRA A. M.; MORRO CERDA, J. Libro del Consulado del Mar. Barcelona: Cámara Oficial de Comercio y Navegación de Barcelona, 1965.

FRANZ, Teresinha Sueli. Arte, Imagem e Mediação Cultural In: NUNES, Ana Luiza Ruschel (org.). Artes Visuais, Leitura de Imagens e Escola. Ponta Grossa: UEPG, 2012. p. 235-246.

KAPPLER, Claude. Monstros, demônios e encantamentos no fim da Idade Média. Tradu-ção Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

MONNET, Pierre. Mercadores. In: GOFF, Jacques e SCHMITT, Jean-Claude (Org.). Dicio-nário Temático do Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC, 2002. v. 2. p. 183-196.

PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria G. História da Idade Média – textos e testemunhos. São Paulo: Unesp, 2000.

RODRÍGUEZ LÓPEZ, M. I. Las Sirenas: génesis y evolución de su iconografía medieval. Revista de Arqueología, n.º 211, 1998, p. 42-51.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currí-culo. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SOLDANI, Maria Elisa. El comercio In: ECO, Umberto (Org.). La Edad Media III – Casti-llos, mercaderes y poetas. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 2018. p. 189-195.

SOUZA, Janaina Nascimento Simões de. Identidade e Representação: os moradores da praia do Aventureiro – Ilha Grande – RJ. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Antropologia, 2013. Tese de Doutorado.

VIERO, Janisse; MEDEIROS, Liziany Müller. Educação do Campo – Princípios e concep-ções da educação no campo. p. 108-123.

Publicado
2022-07-25
Como Citar
ANTUNES JUNIOR, G. Fontes Medievais no ensino de História: reflexões sobre o medievo em uma escola do campo na Vila do Abraão, Ilha Grande, Rio de Janeiro. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 16, n. 30, p. 115 - 131, 25 jul. 2022.