O Futuro do Sertão: paisagens urbanas, memória e natureza – Goiás (séculos XVIII –XIX)

  • Maria de Fátima Duarte Tavares

Resumo

O processo de implantação de núcleos urbanos e de povoamento de Goiás, no século XVIII, está associado à transformação da natureza e ao domínio do território que se
estruturou durante a prevalência da mineração. As cidades, elementos fundadores da ocupação do território de Goiás, deveriam configurar-se como marcos da civilização. No entanto, após a fase aurífera e a conseqüente dispersão populacional, configura-se o problema da progressiva morte de cidades que, dependentes de uma economia de subsistência, tornam-se signos de um retorno social ao estado de natureza. No século XIX, decadência e isolamento são os traços que caracterizam a paisagem urbana, e a memória dessa ocupação é enfatizada em função de seu próprio desaparecimento.

Palavras-chave: Paisagem, cidade, memória, natureza, Goiás

Publicado
2007-10-31
Como Citar
TAVARES, M. DE F. D. O Futuro do Sertão: paisagens urbanas, memória e natureza – Goiás (séculos XVIII –XIX). Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 1, n. 1, p. 83-100, 31 out. 2007.