A JUVENTUDE ENTRE A HISTÓRIA E A MEMÓRIA : A "REBELDIA" COMO TRADIÇÃO INVENTADA E ESPETACULAR

  • Hamilcar Silveira Dantas Junior Universidade Federal de Sergipe

Resumo

O século XX foi o século da juventude, de uma cultura que lhe identificava como tal, e doespetáculo, de relações históricas mediadas por imagens. Considerando que a juventude é umaconstrução sócio-cultural, este artigo parte do princípio que a face da juventude como naturalmenterebelde foi uma tradição inventada, espetacularizada e enraizada na memória coletiva. Osmovimentos estudantis materializaram experiências de revolta que subvertiam a lógicarevolucionária clássica. Tais experiências foram assimiladas pela razão instrumental e os protestossociais tornaram-se apêndices da lógica espetacular. Conclui-se que nas diversas manifestaçõesculturais se construiu uma idealização da rebeldia juvenil, pautada em "vedetes do espetáculo", fatoque se consubstanciou, no Brasil, no estereótipo do jovem "revolucionário".

Palavras-chave: Juventude rebelde; tradição; espetáculo.

Publicado
2007-10-31
Como Citar
JUNIOR, H. S. D. A JUVENTUDE ENTRE A HISTÓRIA E A MEMÓRIA : A "REBELDIA" COMO TRADIÇÃO INVENTADA E ESPETACULAR. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 2, n. 2, p. 63-82, 31 out. 2007.