A “COMPULSÃO DA IDENTIDADE”: A CRÍTICA DE HABERMAS AO HEGELIANISMO FRAKFURTIANO

  • Arthur Grupillo Universidade Federal de Sergipe

Abstract

O objetivo deste artigo é explicitar a crítica de Habermas a Adorno no ensaio Pré-história da subjetividade e auto-afirmação selvagem, e a Marcuse, no ensaio Arte e revolução em Herbert Marcuse, ambos apresentados como “perfis filosófico-políticos”. A explicitação desta crítica tem, como pano de fundo, as objeções de Habermas a Hegel, e tem a vantagem de deixar ver como se reconfiguram, nelas, a relação entre identidade e reconciliação, verdade e liberdade.

Published
2020-10-14
How to Cite
Grupillo, A. (2020). A “COMPULSÃO DA IDENTIDADE”: A CRÍTICA DE HABERMAS AO HEGELIANISMO FRAKFURTIANO. Prometheus - Journal of Philosophy, 12(34). https://doi.org/10.52052/issn.2176-5960.pro.v12i34.14601
Section
Original Articles