NOTAS SOBRE A IRRACIONALIDADE DA GUERRA

Edilene Leal

Resumo


Nesse artigo, procedemos a uma análise sobre a irracionalidade da guerra em tempos cada vez mais caracterizados pela evolução da racionalidade técnica, ou seja, em tempos contemporâneos. Esse é o ponto a partir do qual traçamos, aqui, um percurso argumentativo dividido em duas partes. Na primeira, reconstituímos elementos da concepção de guerra de filósofos como Maquiavel, Clausewitz e Kant, destacando, nos dois primeiros pensadores, a prerrogativa de que a guerra é racional quando se configura meio para fins políticos. Na segunda parte, confrontamos essa racionalidade política da guerra com a dupla dimensão técnica que a guerra assumiu: de um lado, a guerra como um fim em si mesmo e não mais como meio da ação política; de outro, a dimensão racionalizante da guerra como resultado do progresso técnico e científico, atualizada como guerra do terror.


Texto completo:

PDF