O mito das Olimpíadas: Hesíodo, Bacon, Hobbes e a infindável luta dos titãs

Luiz Carlos Santos da Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar alguns dos aspectos mitológicos que fundamentam a realização das olimpíadas desde a antiguidade grega, particularmente a “corrida de tochas acessas” que atualmente inaugura a abertura dos jogos. Para tanto, buscamos apresentar alguns relatos que narram a realização dos jogos olímpicos como uma espécie memória aos mitos fundadores da cultura grega. Nesse registro, consideramos alguns aspectos das narrativas de Hesíodo sobre o mito de Prometeu, bem como algumas observações de filósofos modernos como Francis Bacon e Thomas Hobbes sobre como essa fábula narra a interpretação de uma condição humana fundada em uma competição análoga à uma interminável luta de titãs. Condição humana essa oriunda da desobediência às vontades dos deuses do Olimpo, cristalizada na expressão de uma cultura da competição que visa não apenas agradar a esses deuses, detentores do poder no Olimpo, mas também igualar certos homens a eles.

Texto completo:

PDF