DERRIDA E BERMAN – A TRADUÇÃO COMO ESPAÇO DE CRÍTICA

Juliana Cecci Silva

Resumo


Na esteira da reflexão tradutológica de Friedrich Schleimacher (1768-1834) e de Walter Benjamin (1892-1940), o tradutor e teórico francês Antoine Berman (1942-1991) tornou-se um importante expoente das atuais reflexões na área de Estudos da Tradução ao fazer da tradução um espaço de crítica às tradicionais abordagens logocêntricas dessa teoria/prática; ao fazer dela, assim como o fez Jacques Derrida (1930-2004) na Filosofia, um espaço que possibilita a reformulação dessa relação com o Outro e com tudo que isso pode trazer à superfície do texto traduzido. Diante dessa evidente proximidade com a perspectiva de Jacques Derrida (1930-2004), gostaríamos, no presente trabalho, de mostrar algumas associações entre seus trabalhos.

Texto completo:

PDF