DERRIDA E A CAPACIDADE SUPERIOR DE FORMALIZAÇÃO DA LITERATURA: UMA INTRODUÇÃO

  • William de Siqueira Piauí Professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe (DFL/UFS) Doutor em Filosofia

Abstract

Como Paul Livingston mostrou em seu artigo “Derrida and Formal Logic: Formalizing the Undecidable” é possível traçar alguns paralelos fundamentais entre o que Derrida chama de “indecidível” e a “rica possibilidade de proposições indecidíveis” descoberta por Gödel em 1931. Problematizando parte daqueles paralelos, o que pretendemos em nosso texto é formular os termos com os quais poderíamos fazer um recuo ainda maior daquele proposto por Livingston, ou seja, começar não mais em a “Dupla seção” (1970) de Derrida, mas ir até à Introdução a “A origem da geometria” de Husserl (1962). Gostaríamos, além disso, de apresentar alguns dos possíveis motivos que levaram Derrida para a literatura e não para a Lógica ou a Matemática, isto é, discutir sua opinião quanto à “capacidade superior de formalização da literatura”, especialmente se nos voltamos para sua análise de “Mímica”, poema em prosa de Mallarmé.
Published
2017-09-07
Section
Dossiê Semana de Filosofia da Linguagem - GEFILUFS