DA SEMIÓTICA CAPITALISTA À ESTÉTICA ESQUIZOPOLÍTICA: GUATTARI E O LUGAR DA INVENÇÃO DE SI MESMO NA MICRORREVOLUÇÃO DO DESEJO

Alexandre Filordi de Carvalho

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar como a estética contemporânea é produzida pela semiótica da máquina capitalista. Ao fazer isto, evidencia-se a homogênese estética relacionada às estratégias de modelização subjetiva decorrente da produção subjetiva da máquina capitalista. Buscar outro tipo de experiência estética, neste contexto, é o objetivo de uma estética esquizopolitica. Para tanto, o artigo procura definir o que é uma estética esquizopolítica, uma vez que ela se relaciona com a invenção de si mesmo enquanto afirma a microrrevolução do desejo como modo de cortar os fluxos de modelização estético-subjetivos. Parte-se do pensamento de Guattari como chave analítica e problematizadora.

Texto completo:

PDF