Edições anteriores

  • RCG - Revista Controladoria e Gestão
    v. 3 n. 1 (2022)

    Estimados leitores, saudações acadêmicas!

     

    É com satisfação que informamos que foi publicada mais uma edição da Revista Controladoria e Gestão, organizada pelo Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Sergipe - campus de Itabaiana (DCCI). Nesse volume 3, número 1, de 2022, contamos com 7 pesquisas inéditas, das quais três foram premiadas na seleção de Melhores Trabalhos da II Mostra Online de Estudos Empresariais do DCCI.

     

    O primeiro trabalho desta edição, de autoria de Rafael Lehmkuhl, Darci Schnorrenberger e Leonardo Flach, teve como objetivo discutir, sob a ótica da Teoria Moderna do Portfólio, o desafio de encontrar uma carteira de investimentos adequada ao perfil de cada investidor. Os resultados demonstram que a seleção de ações apresentou resultados expressivos e superou o principal benchmark, o Ibovespa, ao longo dos 5 anos analisados.

     

    Em seguida, o estudo de Laíssa Flávia dos Santos Miná, Isabel Joselita Barbosa da Rocha Alves, Paulo Germano da Costa Alves e Natália da Rocha Silva buscaram  identificar os dilemas éticos presentes na rotina dos profissionais contábeis do município de Esperança - PB.  Os resultados indicaram que a omissão de receitas, a não emissão de documentos fiscais e o uso de caixa dois são os principais dilemas vivenciados pelos profissionais com as empresas clientes, que em sua maioria, são tributadas pelo Simples Nacional.

     

    Por sua vez, o estudo de Letícia Monteiro Amarante, Clébia Ciupak e  Jair Antonio Fagundes demonstrou como a auditoria interna pode se diligenciar para buscar sanar as fragilidades que levam a atos ímprobos de evasão e sonegação fiscal em uma empresa de grande porte do ramo siderúrgico. Os autores enfatizaram, então, a relevância do trabalho desenvolvido pelo setor de auditoria interna, aliado à aplicação de controles internos rígidos e eficientes, com a finalidade de detectar fraudes e evasão fiscal, almejando a proteção do patrimônio da companhia.

     

    Natália Nunes Pacheco, Marcelo Rabelo Henrique e Antonio Saporito são os autores do quarto artigo desta edição, no qual visam mapear a procura de profissionais de contabilidade a ingressarem no ramo de controllers e a mensurar o aumento ou diminuição desta procura nos últimos 6 anos. Os autores perceberam que nos últimos anos essa procura diminuiu, e talvez isso tenha ocorrido devido ao grau de complexidade, responsabilidade e dedicação que o cargo exige.

     

    O quinto artigo, de autoria de Viviane Costa Gurgel, Natália Queiroz da Silva Oliveira, Jane Elly Nunes Costa Lima e Ítalo Carlos Soares do Nascimento buscou analisar os impactos da utilização dos sistemas e avanços da tecnologia no exercício da profissão contábil. Os resultados permitem concluir que os profissionais contábeis demonstram ter conhecimentos sobre as inovações tecnológicas e os impactos que elas representam e que os sistemas de informação apresentam um conjunto de dados que juntamente ao sistema de informação em nuvem, armazena e compartilha informações contábeis úteis para auxiliar os administradores e gestores das organizações na tomada de decisões, evitando fraudes nas obrigações apresentadas. 

     

    Como sexto trabalho publicado, os autores Ítalo Jorge Bezerra Pinheiro, Maria Araci de Lima, Rubens Carlos Rodrigues, Thicia Stela Lima Sampaio visaram discorrer sobre os aspectos que envolvem a complexa estrutura de tributação no modelo de sistematização tributária no Brasil. Os autores levantaram a discussão de que a economia de tributos detém forte amparo quando se alcança o propósito negocial, ocasião que deve ser vista no limite do ordenamento jurídico e guardar a devida atenção no que tange às teorias do abuso em matéria de planejamento tributário.

     

    E para encerrar esta edição, temos o artigo de Marlisson Lima Scheneider e Maurilio Arruda de Araújo que pretenderam analisar se existe correlação entre a desoneração da folha de pagamento e algumas variáveis, devidamente selecionadas. Os resultados apontam que a arrecadação de tributos não sofreu declínio no período analisado. Também se verificou que a FBCF foi positivamente influenciada pela medida de renúncia fiscal, mas, não se identificou efeito positivo da desoneração sobre o aumento do emprego formal.

     

    Agradecemos aos autores que enviaram seus trabalhos, considerando este periódico como um veículo relevante para divulgação dos resultados das suas pesquisas. Nossa gratidão é também endereçada aos avaliadores que de forma voluntária dedicaram parte do seu tempo para trazer contribuições que enriqueceram os artigos aqui publicados. 

     

    E, por fim, agradecemos a você leitor, por entenderem que o nosso periódico é um meio profícuo para a obtenção de novos conhecimentos. E a você direcionamos um singelo pedido: Leia, aprenda, compartilhe!

     

    Os editores.