Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

Diretrizes para Autores

APCs (TAXA DE PROCESSAMENTO DE ARTIGO) E TAXA DE SUBMISSÃO

A Revista de Estudos de Cultura não cobra aos Autores qualquer tipo de taxa de submissão, processamento ou publicação 

AVALIAÇÃO DE TRABALHOS

A Revista de Estudos de Cultura realiza revisão por pares cega (blind peer review) para avaliação de manuscritos. Artigos de temática específica avaliados por especialistas ad hoc, selecionados a partir de nosso Conselho Editorial. Cada artigo é avaliado por dois especialistas. Em caso de discrepância, o artigo é repassado para um terceiro parecerista sempre avaliação cega, pelo método double blind peer review (nem o autor e nem o avaliador sabem quem são)

COPYRIGHTS

A Revista de Estudos de Cultura transfere copyrights e direitos de publicação aos Autores.

TITULAÇÃO MÍNIMA

Como publicação de referência na área, a revista exige o grau mínimo de doutor para autores interessados na submissão de artigos. No caso de autoria coletiva, pelo menos um dos autores deve possuir tal titulação. A modalidade de publicação é contínua.

RESPONSABILIDADE IDEOLÓGICA

Os artigos publicados expressam o ponto de vista dos autores e não a posição oficial da Revista de Estudos de Cultura.

REDAÇÃO CIENTÍFICA

A redação de textos submetidos deve ser objetiva e científica. Os autores devem respeitar a norma culta do idioma em que o texto for redigido, prezando pela clareza, coesão e coerência do conteúdo submetido.

USO DE DADOS E CITAÇÕES

Artigos que contenham aquisição de dados ou análise e interpretação de dados de outras publicações devem referenciá-las de maneira explícita.

Na redação de artigos que contenham uma revisão crítica do conteúdo intelectual de outros autores, estes deverão ser devidamente citados.

Os textos de todas as seções devem apresentar citações e, portanto, lista completa de referências bibliográficas. Dessa forma, a ausência de citações implica na rejeição da submissão na Avaliação primária do texto submetido.

AUTOCITAÇÕES

A revista aceita um índice máximo de 5% de autocitações.

CARÁTER INÉDITO DA PUBLICAÇÃO

Toda submissão enviada para avaliação da REVEC deve ser original e inédita. Assim, os textos não podem ter sido submetidos para avaliação simultânea por outra revista.

ARTIGOS COM ORIGEM EM PUBLICAÇÕES PRÉVIAS

Em se tratando de artigos originais, a revista exige que seu conteúdo seja inédito, ou seja, não pode ter sido publicado previamente em qualquer meio de divulgação científica, exceto repositórios de preprints e repositórios institucionais. Dessa forma, textos já divulgados em revistas e anais de eventos serão rejeitados, não sendo encaminhados para avaliação por pares.

Caso o artigo submetido seja relacionado a uma pesquisa com conteúdo previamente divulgado nos moldes referenciados, é necessário que seu conteúdo seja evidente e considerável expansão da versão inicial, garantindo-se o caráter de inédito.

A repetição da maior parte do conteúdo é considerada autoplágio, o que resulta na rejeição da submissão. A comissão editorial é quem avalia esse aspecto, decidindo sobre o encaminhamento adequado.

PUBLICAÇÃO REDUNDANTE

Textos com mais de dois terços do conteúdo previamente publicados são considerados publicações redundantes. São casos de sobreposição de conteúdo textual, o que permite que um texto redundante seja considerado autoplágio, levando à sua reprovação pela equipe editorial da REVEC.

PUBLICAÇÃO SALAME

Essa prática consiste na publicação de um artigo cuja pesquisa traz repetição de métodos, hipóteses e resultados. Por meio da apresentação de dados que foram desenvolvidas em pesquisa já publicada, os autores fatiam os resultados a fim de obter volume de publicação, aumentando artificialmente suas estatísticas.

A apresentação parcial de resultados que poderiam ser analisados e comparados num único artigo exige o cruzamento de referências de forma desnecessária e atrapalha o desenvolvimento do tema no âmbito da comunidade científica, ocupando leitores e editores de forma desnecessária.  Assim, a REVEC recomenda que a abordagem de questões muito próximas, derivadas de uma única pesquisa, seja realizada por meio da redação de um único artigo.

CORREÇÕES E RETRAÇÕES

Em se tratando de erros acidentais, caso os autores sintam a necessidade de corrigir dados disponíveis na versão publicada de seus artigos, a REVEC aceita a solicitação de correção de conteúdo. Esta será analisada pelos editores e, se julgada procedente, a adequação será realizada, publicando-se a versão atualizada. Uma notificação será feita e vinculada ao texto original, que continuará disponível na página da revista.

No caso de plágio, pesquisa antiética, publicação em duplicidade e dados não confiáveis, a REVEC analisará, criteriosamente, a suspeita. Confirmando-se a violação de princípios éticos e editoriais da revista, o artigo poderá permanecer disponível, identificado como “versão retraída”. Se necessário, a revista removerá a versão publicada. Em ambos os casos - manutenção ou exclusão - haverá uma nota de retração, a qual apresentará as justificativas que embasam a respectiva decisão editorial.

NOTA SOBRE FINANCIAMENTO DE PESQUISA

No caso de pesquisas financiadas por projetos, instituições ou outras fontes específicas de recursos financeiros, os autores devem apresentar uma nota informativa sobre a origem do financiamento.

 

SEÇÕES E APRESENTAÇÃO DOS ORIGINAIS

Revista de Estudos de Cultura, periódico do Núcleo de Estudos de Cultura da UFS, Pólo autónomo internacional do CLEPUL: HISTÓRIA, CULTURA E EDUCAÇÃO, publica artigos, dossiês, traduções, entrevistas e resenhas, inéditos no Brasil, relacionados às grandes áreas de Ciências Humanas, Ciências Sociais e Aplicadas e de Letras, Linguística e Artes. No caso de autoria coletiva, pelo menos um dos autores deve possuir titulação de Doutor. A modalidade de publicação é contínua.  Os textos de todas as seções devem conter citações e lista completa de referências bibliográficas.

ARTIGOS - Textos analíticos que apresentam resultados originais de trabalhos de investigação e/ou de reflexão teórico-metodológica.

DOSSIÊS - Os dossiês temáticos são formados a partir de chamadas abertas via edital, criadas exclusivamente pela Comissão Editorial. Os artigos, além da orientação temática, devem sempre respeitar as normas gerais encontradas em Diretrizes para Autores.

TRADUÇÕES - Textos relevantes para a pesquisa nas grandes áreas de Ciências Humanas, Ciências Sociais e Aplicadas e de Letras, Linguística e Artes. Deverão vir acompanhadas de uma autorização do autor da obra original ou da editora na qual o texto tenha sido publicado. Caso a obra seja de domínio público, esse procedimento não é necessário, sendo o autor da tradução responsável por esta informação.

ENTREVISTAS - Depoimentos de autore(a)s, professore(a)s ou pesquisadore(a)s cuja trajetória e contribuição sejam relevantes para as áreas contempladas pela revista.

RESENHAS - Estudos críticos de textos recentemente publicados ou de obras consideradas importantes na área. Devem apresentar, obrigatoriamente, a referência bibliográfica completa e conter comentários e julgamentos sobre as ideias expressas na obra, a metodologia empregada, a relevância do tema e da abordagem para a área, bem como a posição do(s) autor(es) no debate acadêmico.

NORMAS EDITORIAIS

Os autores devem verificar a conformidade dos originais às configurações adotadas pela revista. Trabalhos fora do padrão serão recusados automaticamente.

Os originais submetidos à publicação devem ser inéditos, não sendo permitida sua apresentação simultânea em outro periódico.

Cada autor só poderá ter um texto em tramitação, entre a submissão e a sua publicação, observando-se um intervalo de um ano, no mínimo, entre a publicação e uma nova submissão de texto de um mesmo autor.

APRESENTAÇÃO DOS ORIGINAIS

IDIOMAS: A Revista de Estudos de Cultura aceita colaborações em português, inglês, espanhol, francês e italiano. Os autores deverão realizar acurada revisão gramatical/textual do artigo submetido.

TRADUÇÃO: para conferir maior visibilidade internacional a artigos originalmente escritos em português, espanhol ou francês, os editores poderão sugerir aos autores a tradução para o inglês da versão final do texto de artigos já aprovados para publicação. Nesse caso, a responsabilidade pela tradução - incluindo seu custo - deve ser assumida pelos autores do artigo. A REVEC publicará as duas versões do texto (no idioma original e em inglês).

FORMATO: O texto deve ser digitado em editor de texto Word for Windows, fonte Times New Roman, tamanho 12; espaçamento entre linhas 1,5; página tamanho A4 (297 x 210 mm), com 2,5 cm de margem superior e inferior; e 3 cm de margem direita e esquerda.

O manuscrito não pode conter identificação de autoria em qualquer parte do texto, seja em notas de rodapé, referência bibliográfica ou propriedade do documento (todas indicações de autoria devem ser apagadas dos originais).

No ato da submissão, é obrigatório o cadastro de todos os autores do manuscrito nos metadados do sistema, inserindo o nome completo (no máximo quatro autores), número identificador (ID) do ORCID, endereço institucional e o e-mail. Não será permitida a inclusão posterior de autores que não estiverem cadastrados no sistema.

Os autores devem realizar a revisão ortográfica, gramatical e de normas da ABNT antes de apresentá-lo à Revista de Estudos de Cultura.

EXTENSÃO: Os trabalhos devem obedecer à seguinte extensão:

  • Artigos, traduções e artigos dos dossiês - de 40.000 a 60.000 caracteres com espaços (excluídos da contagem o resumo e suas versões em inglês e espanhol e incluídos gráficos, tabelas, figuras e imagens). O resumo e suas versões deverão conter entre 700 e 800 caracteres com espaços, cada um;
  • Resenhas - de 8.000 a 15.000 caracteres com espaços;
  • Entrevistas - de 8.000 a 15.000 caracteres com espaços.

TÍTULO, RESUMO, PALAVRAS-CHAVE, SEÇÕES: Os artigos deverão vir acompanhados de resumo e palavras-chave (até quatro palavras-chave, que não estejam citadas no título, separadas por vírgula), em português, inglês e espanhol. O título completo com subtítulos (em até duas linhas) também deve ser apresentado em suas versões para o inglês e o espanhol.

TABELAS, IMAGENS E ELEMENTOS GRÁFICOS: As tabelas devem ser inseridas no texto com caracteres legíveis, numeradas sequencialmente, citadas no corpo do texto, com suas respectivas legendas e nos espaços definidos pelo autor, contendo abaixo, alinhada à esquerda, a indicação da fonte de onde foram retiradas as informações.

As imagens e os elementos gráficos devem ser apresentados no interior do texto e em arquivo à parte, em formato JPG ou TIFF, em resolução 400 dpi, em escala de cinza, numerados e acompanhados dos respectivos títulos e legendas. Em conformidade com a NBR 14724:2011 da ABNT, na parte superior da ilustração, registrar: identificação, precedida da palavra designativa (fotografia, gráfico, quadro, figura, imagem, entre outros); número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos; travessão; título. Na parte inferior: fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor); legenda. A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere.

NOTAS EXPLICATIVAS: As notas de rodapé, apresentadas em numeração consecutiva, devem ter caráter explicativo.

REFERÊNCIAS E CITAÇÕES

As citações deverão seguir os exemplos abaixo, que se baseiam na norma da American Psychological Association (APA).  Para citação no texto, usar o sobrenome e ano: Garraffoni (2007) ou (Garraffoni, 2007); para dois autores: Virtuoso e Rabelo (2015) ou (Virtuoso & Rabelo, 2015); para três a cinco autores (1.ª citação): Gheorghiu, Gruson e Vari (2008) ou (Gheorghiu, Gruson & Vari, 2008) e, nas citações subsequentes, Gheorghiu et al. (2008) ou (Gheorghiu et al., 2008); para seis ou mais autores, citar apenas o primeiro seguido de et al.:Cachioni et al. (2015) ou (Cachioni et al., 2015).

ARTIGOS

Um autor

Saviani, D. (2015). Historiography of brazilian education: training and development field of the history of education in Brazil. Acta Scientiarum. Education, 37(1), 1-14. doi: 10.4025/actascieduc.v37i1.23680

Dois autores

Virtuoso, T. S., & Rabelo, G. (2015). Escolas étnicas italianas: Urussanga como principal centro ítalo-brasileiro catarinense no início do século XX. Acta Scientiarum. Education, 37(1), 65-77.

Até sete autores (devem-se indicar todos os autores separados por vírgula, exceto o último que deve ser separado por vírgula seguido de &)

Gheorghiu, M. D., Gruson, P., & Vari, J. (2008). Trocas intergeracionais e construção de fronteiras nas experiências educativas das classes médias. Educação e Sociedade, 29(103), 377-399.

Oito ou mais autores (devem-se indicar os seis primeiros, inserir reticencias e acrescentar o último autor)

Cachioni, M., Ordonez, T. N., Batistoni, S. S. T., Lima-Silva, T. B., Fooken, I., Dornelles, L. V., ... Ramos, A. C. (2015). Metodologias e estratégias pedagógicas utilizadas por educadores de uma Universidade Aberta à Terceira Idade. Educação & Realidade, 40(1), 81-103

ANAIS

Caporalini, J. B. (2005). O problema antropológico em O Nome da Rosa. In Anais da 4ª Jornada de Estudos Antigos e Medievais da Universidade Estadual de Maringá (p. 200-213). Maringá, PR.

LIVROS

Bowman, A. K., & Woolf, G. (1998). Literacy and power in the ancient world. Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Adorno, T. W. (2003). Educação e emancipação. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Ucko, P. (1995). Archaeological interpretation in a world context. In I. Hodder (Ed.), Theory in archaeology: a world perspective (p. 1-27). Londres, UK: Routledge.

TESE

Santos, V. S. (2007). A mediação docente na educação para mídia (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

ARTIGO DE REVISTA

Chamberlin, J. Novotney, A. Packard, E., & Price, M. (2008, May). Enhancing worker well-being: Occupational health pschologists convene to share their research on work, stress, and health. Monitor on Psychology, 39(5), 26-29.

ARTIGO DE REVISTA ONLINE

Fiuza, G. (2015, Julho). Só a Grécia salva Dilma: Austeridade é o palavrão da moda. A Grécia deve € 26 milhões à Espanha, e a culpa é dos espanhóis. Época. Acessado em:  http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/guilherme-fiuza/noticia/2015/07/so-grecia-salva-dilma.html

ARTIGO DE JORNAL ONLINE

Ninio, M. (2015, 6 de Agosto). Se partido não o escolher, Trump ameaça concorrer como independente. Folha de São Paulo. Acessado em: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/08/1665601-se-nao-for-escolhido-trump-ameaca-concorrer-como-independente.shtml

 

Artigos

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.