DEMÔNIOS E HERESIA NA “RELAÇÃO DA MISSÃO DA SERRA DA IBIAPABA”, DO PADRE ANTÔNIO VIEIRA

  • Fernanda Cristina Santos

Resumo

O texto “Relação da missão da serra da Ibiapaba”, escrito pelo padre Antônio Vieira em 1660, relata o culminar de uma série de tentativas de catequizar (e converter ao cristianismo) os indígenas tabajaras. Após uma série de acontecimentos trágicos e ações infrutíferas em adentrar nos sertões do Ceará e do Maranhão, Vieira escreve vários documentos defendendo a missão a Ibiapaba. Na “Relação...”, o inaciano dá conta de uma série de observações sobre o modo de vida do povo tabajara, os seus costumes e crenças e a forma como os protestantes holandeses avançavam na mesma região. Pretende-se analisar, neste artigo, a forma como o padre Vieira traduz os costumes e crenças tabajaras para uma linguagem cristã e uma ótica católica que, longe de considerar os tabajaras como primitivos ou selvagens, considera-os aptos a construir alianças com os holandeses e a serem dominados pelo demônio, como qualquer cristão. A heresia dos tabajaras é comum, numa tentativa de desafiar os inacianos. A partir de aportes teóricos, tais como François Hartog, que refere como retórica da alteridade o conjunto de traduções que transportam “o outro ao mesmo” (1999, p. 268), analisa-se aqui o relato de Vieira a partir de categorias fulcrais na aferição do outro, tais como nomeação, classificação, inversão ou conversão.


Palavras-chave: “Relação da missão da serra da Ibiapaba”/Antônio Vieira. Tabajaras. Demonização

Publicado
2020-08-04