SOMBRAS GÓTICO-DECADENTISTAS EM ESQUIFES, DE DARIO VELOSO

  • Hélder Brinate Castro

Resumo

A literatura gótica e a literatura decadentista apresentam origens similares. Como o Gótico, que emergiu na contramão do discurso racionalista do Iluminismo, contrapondo-se a uma literatura com intuito de representação realista do universo burguês, o Decadentismo surgiu como um contraponto ao pensamento racional do Positivismo, tematizando as angústias e os medos decorrentes da pretensão científica e documental das narrativas naturalistas. Desiludidas com a racionalidade e pessimistas com a realidade, ambas as poéticas se ocuparam com a faceta obscura e funesta do homem e encetaram composições capazes de gerar efeitos de recepção negativos. Autores góticos e decadentistas criaram, assim, personagens cruéis e monstruosas, que, além de habitarem mundos viciosos e arruinados, desafiam os limites entre o natural e o sobrenatural, entre a razão e a loucura. Tais procedimentos, embora apagados pela crítica e historiografia literária brasileira, são encontrados em parte de nossa ficção, principalmente a do final do século XIX e a do início do XX. Com o intuito de resgatar os influxos do Gótico e do Decadentismo na literatura brasileira, este ensaio objetiva investigar as convergências entre essas poéticas, bem como suas manifestações na obra de Dario Veloso.
Palavras-chave: Gótico. Decadentismo. Literatura brasileira.

Publicado
2020-08-04