“DISCURSO SOBRE O COLONIALISMO (1950)”

DISTOPIA, UCRONIA E UTOPIA EM AIMÉ CÉSAIRE

  • Mariana Affonso Penna
  • Marcos Rafael Andrade de Melo

Resumo

Ao mergulhar nos polêmicos escritos do poeta martinicano Aimé Césaire “Discurso sobre o colonialismo (1950)”, o artigo dialoga com os aspectos distópicos,
utópicos e ucrônicos nele presentes. Após considerações iniciais sobre o autor e sua obra, o manuscrito reflete acerca da modernidade utópica forjada pela Europa Ocidental. Em seguida, em diálogo direto com a fonte, percebe como esta mesma Modernidade pode significar o oposto de seus projetos humanistas – uma distopia, quando se tratam das mazelas da empreitada colonial. Por fim, são apresentados os caminhos da descolonização presentes na obra analisada e as formas de desmantelar os mecanismos de controle da modernidade colonial, visando edificar algo novo, mas em diálogo com o passado e suas ucronias.
Palavras-chave: Modernidade, colonialismo, luta anticolonial, descolonização.

Publicado
2022-01-27