ANTIPASTORALISMO

  • Olívia Barros de Freitas

Resumo

O presente estudo apresenta um panorama histórico de como movimentos e dis- cursos apresentaram ocorrências em negativo do pastoralismo na cultura brasi- leira. Pautado sobretudo nos movimentos de literatura – arte em que a expressão antipastoralista se sobressaiu –, o presente texto aponta as principais correntes e discursos centrados na percepção negativa da estética pastoralista. O pastoralismo compreende a arte como inspiração e adoração pura da natureza, fazendo com que a vida campestre representada pareça autêntica; já os termos antipastoral ou antibu- cólico têm sido usados ao longo da história da literatura e da cultura para, além de identificar aqueles que faziam críticas ou que tinham postura radicalmente contrá- ria a propostas estéticas do pastoralismo e do bucolismo, remeter-se a formas satíri- cas ou a expressões culturais que apresentem a vida rural e seu trabalho a partir de perspectivas não idealistas ou realistas, subvertendo o bucolismo. Demonstramos também neste texto como as tendências antipastoralistas tiveram e têm força, além de uma considerável duração na história da literatura, e um caráter balizador para a cultura brasileira, seja por ressignificar o classicismo ou por recriar constantemente o espaço e a relação do homem com a simplicidade e com o mundo natural.