https://seer.ufs.br/index.php/revisea/issue/feed Revista Sergipana de Educação Ambiental 2020-12-22T15:08:45-03:00 Aline Lima de Oliveira Nepomuceno revisea.se@gmail.com Open Journal Systems <p><strong>Escopo</strong>: A Revista Sergipana de Educação Ambiental (ReviSea) é uma publicação exclusivamente eletrônica do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental – GEPEASE/UFS&nbsp; e do Projeto Sala Verde na Universidade Federal de Sergipe/UFS. Fundada em 2014, com o objetivo de disseminar a produção, resultados e reflexões advindos de investigações científicas e metodológicas, bem como contribuir para consolidar abordagens formais e não formais e formar professores em Educação Ambiental (EA) no país.&nbsp;<br><strong>E-ISSN</strong>: 2359-4993</p> https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14982 Revista Sergipana de Educação Ambiental 2020-12-22T12:59:08-03:00 Aline Lima de Oliveira Nepomuceno aline_limadeoliveira@yahoo.com.br Andressa da Silva andsilvabio@gmail.com 2020-12-22T12:00:44-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14983 Editorial 2020-12-22T12:59:08-03:00 Mônica Andrade Modesto monicamodesto1@gmail.com Maria Inêz Oliveira Araujo inezaraujo58@gmail.com 2020-12-22T11:56:09-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/13322 Saberes e Práticas de Mestrandos em Educação do Sudeste Goiano sobre Meio Ambiente 2020-12-22T12:59:09-03:00 Wender Faleiro wender.faleiro@gmail.com Geize Kelle Nunes Ribeiro geize.ribeiro1@gmail.com <p>Meio ambiente e sustentabilidade são temas muito discutidos no nosso contexto atual enquanto sociedade, principalmente quando se fala da relação do ser humano com o meio ambiente. Além disso, a discussão sobre esse tema é bastante atual e uma preocupação mundial, na medida que buscamos satisfazer nossas necessidades essenciais e aspirações individuais dentro das possibilidades ecológicas e ambientais. Isso exige uma mudança de valores, comportamentos e estilos de vida, que pode ser alcançada por meio da Educação Ambiental, desde que essa seja explorada como conceito e prática. Mas quais os saberes sobre meio ambiente e práticas sustentáveis permeiam nossas Instituições de Ensino? Com isso, a proposta da nossa pesquisa foi analisar a compreensão de conceitos e práticas ambientais associadas ao desenvolvimento sustentável de Mestrandos em Educação de uma Universidade Federal do sudeste goiano. A mesma se caracteriza como quali-quantitativa, de caráter exploratório, utilizando a técnica de <em>survey</em> para a obtenção dos dados. Encontramos que a maioria dos participantes possuem práticas efetivas e cotidianas para proteger o meio ambiente e promover a sustentabilidade, reconhecendo que os poderes públicos e privados e a sociedade são corresponsáveis pelos cuidados ecológicos. Além disso, as questões conceituais nos revelaram suas subjetividades, dado que enquanto seres humanos somos regidos pelo nosso contexto social, histórico, político, econômico e cultural. Por fim, esse estudo contribui primordialmente com a instituição em que foi realizada a pesquisa, mas também com outras instituição que tenham o interesse de conhecer suas especificidades sobre a problemática, e, com isso, avançarmos nas reflexões, estudos e debates, tendo como foco a construção de sociedades sustentáveis e cidadãos conscientes ecologicamente.</p> <p>&nbsp;</p> 2020-12-12T10:29:08-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/13353 Perspectivas dos visitantes sobre o Bosque da Ciência (Manaus, Amazonas) como um espaço facilitador de educação ambiental 2020-12-22T12:59:09-03:00 David Silva Nogueira davidsn@zootecnista.com.br Gabriel Silva de Souza Nunes gssnunes@hotmail.com Maria Olívia de Albuquerque Ribeiro Simão mariaoliviar@uol.com.br <p>Atividades de educação ambiental devem envolver pessoas com as causas ambientais, que transcendam o espaço escolar, pois isso permite que o estudante se comporte como sujeito ativo de seu conhecimento, podendo aplica-los na prática cotidiana. O fragmento florestal amazônico do Bosque da Ciência (Manaus, AM), que é um espaço destinado à divulgação científica e educação ambiental com uma boa estrutura física para atrair vários visitantes. Assim sendo, esse estudo teve por objetivo verificar a efetividade do espaço do Bosque da Ciência como veículo para a educação ambiental de seus visitantes. Pudemos perceber que a maioria dos visitantes tem preferência por estar em ambientes naturais, em contato direto com a natureza. Além disso, foi possível percebermos alguns aspectos que os visitantes do Bosque da Ciência possuíam antes da realização do passeio, onde foram apontadas possíveis melhorias.</p> 2020-12-12T10:28:21-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/13560 Educação ambiental escolar para o semiárido paraibano 2020-12-22T12:59:10-03:00 João Aquino Correia joaobiologiaufpb@gmail.com Francisco José Pegado Abílio chicopegado@yahoo.com.br <p>A Caatinga encontra-se entre os biomas que mais sofrem mudanças devido à intervenção humana. Nesse sentido, a educação ambiental, pode contribuir de significativamente para a formação de sujeitos críticos e atuantes. Todavia, é necessário conhecer as percepções ambientais para a potencial otimização do processo educativo. Diane disso, a partir de uma abordagem qualitativa com elementos quantitativos, a presente pesquisa objetivou diagnosticar percepções ambientais prévias de 30 discentes da 1ª e 2ª série do ensino médio em uma escola pública situanda Caatinga paraibana. Os dados foram coletados&nbsp; por meio de um questionário, categorizados de acordo com a análise de conteúdo. A maioria dos alunos apresenta: uma perespecgtiva onde o homem e natureza estão dissociados, dificuldade em formular os conceitos de preservação, conservação ambiental e ecologia todavia, demonstram conhecer representantes da fauna e flora. A partir do reconhecimento das demandas dos educandos pode-se contextualizar os processos educativos para a região.</p> 2020-12-12T10:27:24-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/13572 Design Thinking na Educação Ambiental: a problemática do Eucalyptus Urophylla S.T. Blake em uma escola do extremo sul baiano 2020-12-22T12:59:10-03:00 Eli Shuab Carvalho Lima carvalho.eli38@gmail.com Ageu Santos Oliveira ageusantos1@gmail.com Sindiany Suelen Caduda dos Santos sindianyufs@gmail.com <p>O <em>Design Thinking</em> (DT) é uma metodologia ativa que promove o protagonismo de estudantes mediante a resolução de um desafio/problema. Objetiva-se identificar os benefícios da aplicação da metodologia <em>Design Thinking,</em> no estímulo e valorização do protagonismo de estudantes quanto ao debate sobre a monocultura do eucalipto (<em>Eucalyptus urophylla </em>S.T. Blake) em uma escola de Teixeira de Freitas, Bahia. Observou-se sistematicamente habilidades previamente definidas durante o desenvolvimento das cinco etapas do DT: Descoberta, Interpretação, Ideação, Experimentação e Evolução. Numa escala entre insatisfatória, aceitável e exemplar, seguindo a metodologia do <em>Buck Institute For Education</em>, O desempenho dos estudantes foi classificado como exemplar em quase todas as etapas; com exceção da habilidade proposição de ideias, classificada como aceitável. O trabalho revela a importância da utilização de metodologias ativas nas escolas para estimular o protagonismo dos jovens; valorizar saberes comum e científico; ampliar o debate de problemas socioambientais e transformar as ações dos sujeitos, pressupostos essenciais da Educação Ambiental Crítica.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Ensino e Aprendizagem. Investigação. Metodologias Ativas. Protagonismo dos estudantes.</p> 2020-12-14T10:29:55-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14118 Doutorado sanduíche no exterior 2020-12-22T12:59:11-03:00 Ionara Cristina Albani ionara.albani@riogrande.ifrs.edu.br Cláudia da Silva Cousin profaclaudiacousin@gmail.com <p>Este artigo apresenta as aprendizagens construídas com a experiência do doutorado sanduíche no exterior, realizado na Universidade Pablo de Olavide – UPO, em Sevilha, Espanha, através do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental – PPGEA. Os principais objetivos desse processo foram: construir e desenvolver uma proposta de pesquisa sobre Educação Ambiental, Formação de Educadores e Movimentos Sociais, na UPO; ampliar a discussão sobre a temática, problematizando a participação e o diálogo dos Movimentos Sociais nas/com as Instituições de Ensino Superior e potencializando a inserção da Educação Ambiental na formação de educadores, tanto na Espanha, quanto no Brasil; firmar e fortalecer uma parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande – FURG e a UPO, contribuindo, também, para a internacionalização PPGEA.</p> 2020-12-14T10:08:14-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14636 As percepções de docentes acerca da Educação Ambiental 2020-12-22T15:08:45-03:00 Juliana Mara Antonio Antonio julianamara85@hotmail.com Adriana Massaê Kataoka dri.kataoka@hotmail.com Patricia Neumann Neumann souhumanista@hotmail.com <p>Considerando-se o contexto de elevada degradação socioambiental, a Educação Ambiental (EA), sob a perspectiva da Complexidade, de Edgar Morin, fornece subsídios teórico-práticos de compreensão e enfrentamento dos problemas atuais, com notável complexidade. Diante disso, este artigo tem como objetivo apresentar um comparativo entre a percepção anterior e posterior ao Curso de Formação Continuada em Educação Ambiental, sob a perspectiva da Complexidade, dos professores participantes, em relação à EA. Buscou-se, também, avaliar o curso como um todo, bem como os limites e as potencialidades da metodologia utilizada. Para isso, foram utilizados dois questionários, com questões abertas, sendo que um foi aplicado antes do curso e o outro após. Para a análise do questionário, optou-se pela teoria da Análise do Discurso, de corrente francesa, segundo Orlandi (2015). Percebeu-se que as concepções conservadora e pragmática, de início, predominaram, mas que, no decorrer do processo, houve a ampliação dessas visões, especialmente acerca dos Sete Saberes conectados à EA.</p> 2020-12-12T10:26:14-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14638 Ações envolvendo a educação ambiental nas Cátedras, Centro e Instituto Paulo Freire do Brasil 2020-12-22T12:59:12-03:00 ALEXSANDRO ALBERTO DA SILVA alexbullom24@gmail.com MONICA LOPES FOLENA ARAÚJO monica.folena@gmail.com <p>As Cátedras, Centro e Instituto Paulo Freire tornam-se espaços de programas, pesquisas, reuniões de grupos de pesquisa, cursos, eventos, fomentos de políticas públicas sociais, educativas e econômicas para contribuir com o desenvolvimento sustentável do planeta, sobre a não dicotomia homem-natureza, educação-sociedade, teoria-prática, formador-educando. Este estudo objetiva analisar a influência do pensamento de Paulo Freire nas ações desenvolvidas pelas Cátedras, Centro e Instituto Paulo Freire do Brasil envolvendo a Educação Ambiental. De abordagem qualitativa e método descritivo, os dados da pesquisa foram coletados nos respectivos sites disponíveis desses espaços. Os resultados apontaram que esses espaços formativos desempenham importante papel na formação de uma identidade socioambiental sustentável, pois proporcionam aos atores envolvidos a reflexão sobre o verdadeiro diálogo, pensamento crítico-humanizado e emancipatório, graças à troca entre cátedra-universidade-escola-sociedade.</p> 2020-12-12T11:36:06-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/14685 A Educação Ambiental e seus Desafios: um olhar acerca das escolas municipais de São Sebastião da Amoreira – PR 2020-12-22T12:59:12-03:00 Suellen Jane Correia suellen_correia11@hotmail.com Rodrigo de Poletto rodrigopoletto@uenp.edu.br <p>O objetivo deste trabalho é compreender como os professores do Ensino Fundamental I abordam a Educação Ambiental com seus alunos. Esta pesquisa foi realizada em duas escolas municipais de São Sebastião da Amoreira-PR, sendo que, para coleta de dados, utilizamos questionários diagnósticos, os quais foram aplicados aos professores de forma individual. As informações obtidas deste instrumento de coleta foi o corpus da pesquisa e para analisá-las, apoiamo-nos na Análise Textual Discursiva. Após a análise dos dados, os resultados evidenciaram que os professores abordam essa temática somente em datas simbólicas ou de forma pontual, bem como se utilizam de exemplos distantes da realidade do aluno e ineficazes para mudar o comportamento do estudante e melhorar as condições em seu entorno.</p> 2020-12-14T11:11:47-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Sergipana de Educação Ambiental