https://seer.ufs.br/index.php/revisea/issue/feed Revista Sergipana de Educação Ambiental 2022-10-05T14:22:48-03:00 Aline Lima de Oliveira Nepomuceno revisea.se@gmail.com Open Journal Systems <p><strong>Escopo</strong>: A Revista Sergipana de Educação Ambiental (ReviSea) é uma publicação exclusivamente eletrônica do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental – GEPEASE/UFS&nbsp; e do Projeto Sala Verde na Universidade Federal de Sergipe/UFS. Fundada em 2014, com o objetivo de disseminar a produção, resultados e reflexões advindos de investigações científicas e metodológicas, bem como contribuir para consolidar abordagens formais e não formais e formar professores em Educação Ambiental (EA) no país.&nbsp;<br><strong>E-ISSN</strong>: 2359-4993</p> https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18152 Expediente 2022-10-05T14:21:46-03:00 Aline Lima de Oliveira Nepomuceno aline_limadeoliveira@yahoo.com.br Andressa da Silva andsilvabio@gmail.com 2022-09-26T17:47:52-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18122 Sumário 2022-10-05T14:22:48-03:00 Aline Lima de Oliveira Nepomuceno aline_limadeoliveira@yahoo.com.br Andressa da Silva andsilvabio@gmail.com 2022-09-12T16:57:15-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18113 Editorial 2022-09-29T11:45:25-03:00 Mauro Guimarães guimamauro@hotmail.com Monica Lopes Folena Araújo monica.folena@gmail.com 2022-09-07T20:33:18-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18102 Fundamentos da práxis freiriana que garantem caráter crítico-humanizador-transformador à Educação Ambiental 2022-09-29T11:48:38-03:00 Monica Lopes Folena Araújo monica.folena@ufrpe.br <p>O presente artigo, de cunho reflexivo e propositivo, teve por objetivo geral analisar os fundamentos da práxis freiriana que garantem caráter crítico-humanizador-transformador à Educação Ambiental. Para tanto, estabelecemos como objetivos específicos: mapear, as proposições relativas à teoria e prática da Educação Ambiental, evidenciando categorias fundantes no pensamento de Paulo Freire, e explicitar as contribuições de Paulo Freire para a Educação Ambiental em três dimensões – o educador popular, o gestor público e o ser humano.Com base na vida e obra de Paulo Freire apresentamos como fundamentos desta práxis as categorias: relação, diálogo, autonomia, criatividade, criticidade e humanização.&nbsp; Categorias estas corporeificadas pelo exemplo e por isso tão significativas para a Educação Ambiental.</p> 2022-09-07T17:53:51-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18103 A dimensão freireana da formação do educador ambiental na “ComVivência Pedagógica” 2022-09-29T11:50:40-03:00 Noeli Borek Granier noelibgr@gmail.com Mauro Guimarães guimamauro@hotmail.com <p>A “ComVivência Pedagógica” é uma proposta teórico metodológica de formação de educadores ambientais em construção pelo grupo de Pesquisa GEPEADS/UFRRJ, que se encharca das concepções educacionais de Paulo Freire. Nesse artigo apresentamos essa dimensão freirerana que está presente em todas as etapas de desenvolvimento da proposta formativa.</p> 2022-09-07T18:10:12-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18104 Educação ambiental referenciada em Paulo Freire realizada em ambiente virtual 2022-09-29T11:50:38-03:00 Sheila Ceccon sheila.ceccon@gmail.com <p>Este artigo estabelece relações entre os princípios filosóficos, políticos e pedagógicos de Paulo Freire, registrados em alguns livros do autor publicados em diferentes momentos de sua vida, e a educação ambiental crítica. Na sequência, analisa uma experiência de educação ambiental realizada em ambiente virtual e promove reflexões sobre o desafio de ser freiriana/o na educação a distância.Aanálise da experiência se dá a partir da formação de professores desenvolvida pela organização sem fins lucrativos formigas-de-embaúba, em 2021, no contexto da pandemia de COVID-19.O estudo foi feito tendo por referência 5 categorias do pensamento de Paulo Freire: a educação compreendida como ato político, a Leitura de Mundo como ponto de partida e de chegada, o diálogo como pressuposto do fazer educativo, os Círculos de Cultura como opção político pedagógica e a problematização como princípio. Este artigo compartilha o caminho de educação ambiental a distância percorrido e apresenta dados qualitativos e quantitativos da experiência.</p> 2022-09-07T18:29:30-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18105 Reinventando a ecopedagogia 2022-09-29T11:47:22-03:00 Ivo Dickmann educador.ivo@unochapeco.edu.br <p>Esta pesquisa trata da relação entre Educação Ambiental (EA) e Ecopedagogia, suas origens e trajetórias, como se articulam pedagógica e politicamente em seus contextos para estabelecer suas aproximações e distanciamentos em relação com a perspectiva crítica da Educação. A questão que move essa reflexão é: quais são as aproximações e distanciamentos entre a EA e a Ecopedagogia e como elas se constituem como campos distintos de conhecimentos e práticas educativas? O objetivo é estabelecer as fronteiras de ambas e suas intersecções de modo a distingui-las, estabelecendo novos horizontes para a Ecopedagogia. Primeiramente se estabeleceram os referenciais teórico-práticos de cada uma individualmente; posteriormente construiu-se um quadro sinótico com as respectivas características e, por fim, delimitaram-se as fronteiras, intersecções e distanciamentos, construindo um conjunto de indicações propositivas para a reinvenção da Ecopedagogia e as grandes questões na atualidade: superação patriarcado, do pensamento moderno e do capitalismo.</p> 2022-09-07T18:47:18-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18107 A Educação Ambiental Crítico-transformadora e o que fazer dos educadores ambientais do IFSC 2022-09-29T11:46:36-03:00 Gladis Teresinha Slonski gladis@ifsc.edu.br Juliana Rezende Torres julianart@ufscar.br <p>O presente estudo compreende parte da tese de doutorado da primeira autora e teve como objetivo identificar e analisar o <em>quefazer </em>dos docentes de disciplinas de educação ambiental dos cursos do Instituto Federal de Santa Catarina identificando os condicionantes e as potencialidades para o desenvolvimento da Educação Ambiental Crítico-transformadora via temas geradores.Para isso, foi realizada uma análise dos projetos pedagógicos dos cursos oferecidos e dos planos de ensino de disciplinas de educação ambiental. Além da análise documental, buscamos uma aproximação com os educadores ambientais através de um questionário. Os resultados indicam que muito embora o <em>quefazer</em> desses professores, tenha um potencial emancipatório, por estar voltado para um processo educativo comprometido com o processo de transformações da realidade, como não está fundamentado no <em>quefazer</em> em Educação Ambiental Crítico-transformadora, isto é, no desenvolvimento da dinâmica de Investigação Temática, acaba por se distanciar dessa concepção de Educação Ambiental.</p> 2022-09-07T19:18:20-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18106 A música geradora na formação docente em Educação Ambiental Dialógica 2022-09-29T11:46:25-03:00 João Batista de Albuquerque Figueiredo joaofigueiredo@ufc.br <p>Neste ensaio dialógico, realizamos uma pesquisa dialógica, com vistas a catalogar temas de interesse à gruposem formação docente, através de Músicas Geradoras. Apresenta um relato da utilização e potência da música, enquanto linguagem capaz de impulsionar reflexões, mapear saberes de experiência feito, com intencionalidade educativa, proporcionar tomada de consciência e conscientização.Constatamos que a música favorece a escuta amorosa, o surgimento de metáforas geradoras de práxis. Nesse exemplo, entrelaçamos a música Paciência, de Leninecom o capítulo primeiro do Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire. Dasvárias narrativas, emergiram falas sobre: entremear calma/serenidade diante do cotidiano opressor; que podemos nos opor a lógica do mercado. Alertaram sobre o amor-próprio, autocuidado, a pressa da modernidade, que outras lógicas são possíveis em sala de aula e no mundo,dereconhecermos que somos corpo-alma. A música pode se tornar práxis pedagógica que potencializa práxis social.</p> 2022-09-07T19:33:49-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18108 Paulo Freire e a Educação Ambiental no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências da UFMS 2022-09-29T11:46:03-03:00 Angela Maria Zanon zanon.ufms@gmail.com Suzete Rozana de Castro Wiziack suzetew@gmail.com Icléia Albuquerque de Vargas icleiavargas12@gmail.com <p>O texto analisa o pensamento de Paulo Freire presente em investigações de Educação&nbsp; Ambiental (EA) de um Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências&nbsp; que&nbsp; possui como &nbsp;área de concentração, a &nbsp;Educação Ambiental. Com o objetivo de identificar quantas,&nbsp;&nbsp;quais, porque e como&nbsp;utilizam o referencial freiriano no desenvolvimento da pesquisa, numa perspectiva qualitativa&nbsp; de análise,&nbsp; o&nbsp;estudo do tipo Estado de Conhecimento foi realizado com a coleta de dados&nbsp; no banco de dissertações e teses do&nbsp; programa. Os resultados revelam um considerável &nbsp;&nbsp;número de trabalhos que&nbsp; utilizam Freire como aporte para a formação de professores,&nbsp; abordagens curriculares, propostas metodológicas e para a produção de material didático.&nbsp; Os principais conceitos de Freire&nbsp; abordados&nbsp; são: conscientização, Círculo de&nbsp; Cultura,&nbsp; Educação Problematizadora e Diálogo. Conclui-se que Paulo Freire é&nbsp; o principal referencial utilizado nas pesquisas e que é abordado em diferentes perspectivas que oferecem possibilidades variadasde leitura do seu pensamento.</p> 2022-09-07T19:47:54-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental https://seer.ufs.br/index.php/revisea/article/view/18109 Educação Ambiental consciente e os projetos didáticos em sala de aula 2022-09-29T11:45:38-03:00 Kalina CúrieTenório Fernandes do Rêgo Barros kalinacurie23@gmail.com Zélia Maria Soares Jófili zjofili@gmail.com Mônica Maria Lins Santiago monicamlins@gmail.com <p>O presente artigo teve como objetivo investigar as repercussões do trabalho com projetos didáticos relacionados à temática ambiental, na formação inicial de professores. Foi utilizada uma abordagem qualitativa que envolveu a pesquisa-ação. Participaram da pesquisa duas estagiárias de uma escola pública em Pesqueira, PE. As estudantes inicialmente responderam a um questionário em que se posicionaram sobre a necessidade de vivenciar, durante a formação, situações didáticas mais motivadoras. Os resultados apontam que o trabalho com Projetos sobre o tema meio ambiente oportunizou às crianças e às estudantes o contato com uma diversidade de novas experiências que propiciaram a adoção de atitudes e valores voltados para a consciência cidadã. Os dados sugerem, também, que a experiência empreendida contribuiu para a melhoria da docência das estudantes, além de estimular, nos educandos, o sentido de pertencimento ao meio ambiente e de responsabilidade social.</p> 2022-09-07T20:06:02-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Sergipana de Educação Ambiental