ARTE: CONCEITO E REPRESENTAÇÃO NO CONTEXTO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE DOIS CURSOS: EDUCAÇÃO FÍSICA E ENSINO FUNDAMENTAL

José Paulo Brazão, Alice Maria Mendonça

Resumo


Conceitualizar a Arte pressupõe aceder aos múltiplos significados que a linguagem escrita lhes atribui e ainda às perceções pessoais de quem o faz. Por isso, neste estudo de caso propusemo-nos determinar as representações de Arte dos estudantes de dois cursos profissionalizantes da Universidade da Madeira (Mestrados em Ensino de Educação Física e em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico[1]). Através da pesquisa bibliográfica e da aplicação de inquéritos por questionário identificámos as representações dos estudantes acerca de Arte. A triangulação de dados envolveu uma abordagem metodológica simultaneamente qualitativa e quantitativa. As conclusões permitiram-nos compreender que a formação inicial condiciona as representações dos estudantes acerca de Arte. Embora ambos os grupos a valorizem, a sua representação e aplicação profissional desenham-se de acordo com as áreas curriculares já estudadas.


[1] O Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico é a grau de mestre necessário para, em Portugal, ser professor do Ensino Fundamental.


Palavras-chave


Representações sobre Arte, Educação, Formação Inicial de Professores, Educação Física, Educação de Infância, Ensino Fundamental

Texto completo:

PDF

Referências


Barbosa, A. (1975) Teoria e prática da educação artística. São Paulo: Cultrix.

Bogdan, R. e Biklen, S. (1994). A Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora.

Camillis, L. (2002). Criação e docência na arte. Araraquara: JM Editora.

Fusari, M. & Ferraz, M. (2014). Arte na Educação Escolar. 3ª reimpressão. São Paulo: Cortez.

Hernandez, F.(2000). Cultura Visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artmed.

Moscovici, S. (1976). La psychanalyse, son image et son public. 2ª edição. Paris: PUF.

Nobre, Z. & Mendonça, A. (2015) "O Ensino das Artes no Brasil: Teoria e Prática" (pp. 97-104) In Revista Portuguesa de Educação Artística, 5. ( ISSN: 1647-905X)

Pestana, M. (2013) As representações sociais dos educadores de infância sobre a supervisão pedagógica: um estudo de caso no concelho de Câmara de Lobos. Universidade da Madeira. Dissertação de Mestrado não publicada.

Read, H. (2001). A educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes.

Rodrigues, L. (2008). A integração escolar dos alunos do ensino técnico-profissional nível III nas escolas públicas da RAM. Universidade da Madeira. Tese de doutoramento não publicada.

Stake, R. E. (2009). A arte da investigação com estudos de caso. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Vala, J. (2002). “Representações sociais e psicologia social do conhecimento quotidiano”. 5ª edição. In, J. Vala, J. & M. Monteiro, (2002). Psicologia Social. (pp.457- 502). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Weitz, M. 1957. “O papel da teoria em estética. In C. D’Orey (org) O que é Arte? Lisboa: Dinalivro. 2007, pp. 61-78. Publicado originalmente em The Journal of Aesthetics and Art Criticism, 15.I, pp. 27-35.




DOI: https://doi.org/10.20952/revtee.v12i29.10617

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários
 |  Incluir comentário

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.