ARTE: CONCEITO E REPRESENTAÇÃO NO CONTEXTO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE DOIS CURSOS: EDUCAÇÃO FÍSICA E ENSINO FUNDAMENTAL

Palavras-chave: Representações sobre Arte, Educação, Formação Inicial de Professores, Educação Física, Educação de Infância, Ensino Fundamental

Resumo

Conceitualizar a Arte pressupõe aceder aos múltiplos significados que a linguagem escrita lhes atribui e ainda às perceções pessoais de quem o faz. Por isso, neste estudo de caso propusemo-nos determinar as representações de Arte dos estudantes de dois cursos profissionalizantes da Universidade da Madeira (Mestrados em Ensino de Educação Física e em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico[1]). Através da pesquisa bibliográfica e da aplicação de inquéritos por questionário identificámos as representações dos estudantes acerca de Arte. A triangulação de dados envolveu uma abordagem metodológica simultaneamente qualitativa e quantitativa. As conclusões permitiram-nos compreender que a formação inicial condiciona as representações dos estudantes acerca de Arte. Embora ambos os grupos a valorizem, a sua representação e aplicação profissional desenham-se de acordo com as áreas curriculares já estudadas.


[1] O Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico é a grau de mestre necessário para, em Portugal, ser professor do Ensino Fundamental.

Biografia do Autor

José Paulo Brazão, Universidade da Madeira

José Paulo Gomes Brazão

Professor Auxiliar da Universidade da Madeira, na Faculdade de Ciências Sociais. Iniciou a sua atividade docente em 1985 como professor do 1º Ciclo do Ensino Básico. Foi professor de Educação Especial entre 1990 e 2000. Frequentou o mestrado em Psicologia Educacional (2000) no ISPA e o doutoramento em Educação - Ramo Inovação Pedagógica (2008) na Universidade da Madeira. É Membro do Centro de Investigação em Educação CIE-UMa. Publica na área da Inovação Pedagógica. Mantém interesse na investigação sobre: a modificação de paradigmas e quebras de invariantes culturais nos contextos escolares; conceções de aprendizagem e comunidades de aprendizagem; Estudos etnográficos em educação e ainda sobre o uso da tecnologia e das ferramentas da Internet em diferentes contextos de aprendizagem. Tem orientado teses de mestrado e doutoramento bem como participado em provas de júri de mestrado e doutoramento nesta especialidade. É diretor do Curso de Mestrado em Educação Pré-escolar e Ensino do 1º Ciclo do EB.

Alice Maria Mendonça, Universidade da Madeira

Alice Maria Justa Ferreira Mendonça é Doutora em Educação na especialidade de Sociologia da Educação. É Professora Auxiliar do Departamento de Ciências da Educação da Universidade da Madeira e Investigadora do Centro de Investigação em Educação desta Universidade.

É autora de inúmeras publicações na área da Sociologia da Educação tendo como principais focos de análise a problemática do Insucesso Escolar, as Políticas Educativas, a diferenciação escolar entre os aproveitamentos de Rapazes e Raparigas, assim como outras questões ligadas à Desigualdade de Género.

Referências

Barbosa, A. (1975) Teoria e prática da educação artística. São Paulo: Cultrix.

Bogdan, R. e Biklen, S. (1994). A Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora.

Camillis, L. (2002). Criação e docência na arte. Araraquara: JM Editora.

Fusari, M. & Ferraz, M. (2014). Arte na Educação Escolar. 3ª reimpressão. São Paulo: Cortez.

Hernandez, F.(2000). Cultura Visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artmed.

Moscovici, S. (1976). La psychanalyse, son image et son public. 2ª edição. Paris: PUF.

Nobre, Z. & Mendonça, A. (2015) "O Ensino das Artes no Brasil: Teoria e Prática" (pp. 97-104) In Revista Portuguesa de Educação Artística, 5. ( ISSN: 1647-905X)

Pestana, M. (2013) As representações sociais dos educadores de infância sobre a supervisão pedagógica: um estudo de caso no concelho de Câmara de Lobos. Universidade da Madeira. Dissertação de Mestrado não publicada.

Read, H. (2001). A educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes.

Rodrigues, L. (2008). A integração escolar dos alunos do ensino técnico-profissional nível III nas escolas públicas da RAM. Universidade da Madeira. Tese de doutoramento não publicada.

Stake, R. E. (2009). A arte da investigação com estudos de caso. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Vala, J. (2002). “Representações sociais e psicologia social do conhecimento quotidiano”. 5ª edição. In, J. Vala, J. & M. Monteiro, (2002). Psicologia Social. (pp.457- 502). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Weitz, M. 1957. “O papel da teoria em estética. In C. D’Orey (org) O que é Arte? Lisboa: Dinalivro. 2007, pp. 61-78. Publicado originalmente em The Journal of Aesthetics and Art Criticism, 15.I, pp. 27-35.

Publicado
2019-06-13
Como Citar
Brazão, J. P., & Mendonça, A. M. (2019). ARTE: CONCEITO E REPRESENTAÇÃO NO CONTEXTO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE DOIS CURSOS: EDUCAÇÃO FÍSICA E ENSINO FUNDAMENTAL. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 12(29), 25-40. https://doi.org/10.20952/revtee.v12i29.10617
Seção
Artigos de Demanda Contínua