O processo de expansão e interiorização das universidades federais brasileiras e seus desdobramentos

  • Marcelo Ximenes Aguiar Bizerril Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília. Planaltina, Distrito Federal, Brasil.
Palavras-chave: Expansão do ensino superior. REUNI. Universidades Federais.

Resumo

O texto analisa a recente expansão da rede de universidades federais brasileiras e indica que esse processo, ao fortalecer o modelo multicampi, contribuiu para a democratização do acesso ao ensino superior público e para o desenvolvimento regional em diversos sentidos, promovendo também condições para que a própria universidade reveja seus modelos institucionais, favorecendo a interdisciplinaridade e o diálogo do meio acadêmico com a sociedade. Em sentido contrário ao modelo gerencialista de gestão universitária, a atuação dos novos campi remonta à discussão a respeito da universidade como bem público, e do seu papel na redução das desigualdades sociais e na promoção do desenvolvimento humano.

Biografia do Autor

Marcelo Ximenes Aguiar Bizerril, Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília. Planaltina, Distrito Federal, Brasil.

Professor Associado da Universidade de Brasília, com doutorado em Ecologia pela Universidade de Brasília, e pós-doutorado em Políticas e Gestão do Ensino Superior pela Universidade de Aveiro (Portugal). Trabalha com formação de educadores no ensino superior desde 1996 e tem experiência nas áreas de: Educação Ambiental; Ensino de Ciências; Gestão do Ensino Superior; Comunicação Comunitária; Ecologia, com ênfase em ecologia e conservação do Cerrado; Educação à Distância. Atua nos Programas de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural (PPGMADER), e em Educação em Ciências (PPGEDUC), todos da UnB. Atualmente é diretor do campus da Universidade de Brasília em Planaltina-DF (Faculdade UnB Planaltina), cargo que já exerceu entre 2007 e 2012.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2993-155X

Referências

BARROS, A.S.X. Expansão da Educação Superior no Brasil: limites e possibilidades. Educ.Soc., Campinas, v. 36, n. 131, p. 361-390, 2015.

BIZERRIL, M.X.A.; LE GUERROUÉ, J.L. FUP: a construção coletiva de um campus interdisciplinar. In: Saraiva, R.C.F. & Diniz, J.D.A.S. (Org.). Universidade de Brasília: trajetória da expansão nos 50 anos. 1a ed. Brasília: Decanato de Extensão, p. 23-30, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. REUNI – Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais. Disponível em: http://reuni.mec.gov.br. Acesso em: 25 jul. 2017.

BRITO, L.C. A importância dos estudos sobre interiorização da universidade e reestruturação territorial. Espaço e Economia – Revista Brasileira de Geografia Econômica, v. 2, n. 4, 2014. Disponível em: https://espacoeconomia.revues.org/802

CHAUI, M. Em defesa da educação pública, gratuita e democrática. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2018.

ĆULUM, B. Croatian academics and university civic mission integration: possibilities and constraints. In: BRANKOVIĆ, J. et al. (Eds.). Global challenges, local responses in higher education: the contemporary issues in national and comparative perspective. Rotterdam: Sense Publishers, 2014. p. 59-78.

DIAS SOBRINHO, J. Autonomia, formação e responsabilidade social: finalidades essenciais da universidade. Revista FORGES – Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa, v. 4, n. 2, p. 13-30, 2016.

DUTRA, N.L.L. A expansão do ensino superior privado a partir de 1990: limites e possibilidades. Artificios, Revista do Difere, v. 2, n. 4, 2012.

FAVERI, D.B.; PETTERINI, F.C.; BARBOSA, M.P. Uma avaliação do impacto da política de expansão dos Institutos Federais nas economias dos municípios brasileiros. Planejamento e Políticas Públicas, n. 50, p. 125-147, 2018.

GONÇALVES, S.A. Estado e expansão do ensino superior privado no Brasil: uma análise institucional dos anos de 1990. Educar, Curitiba, n. 31, p. 91-111, 2008.

LEHER, R. Autonomia universitária e liberdade acadêmica. Revista Contemporânea de Educação, v. 14, n. 29, p.209-226, 2019.

LIMA, L.C. Patterns of institutional management: democratization, autonomy and the managerialist canon. In: NEAVE, G., AMARAL, A. (Eds.), Higher Education in Portugal 1974-2009: a Nation, a Generation. CIPES/Springer, Porto, pp. 287e307. 2012.

MANCEBO, D. Educação superior no Brasil: expansão e tendências (1995-2014). 37ª Reunião Nacional da ANPEd, Florianópolis: UFSC, 2015.

MELLO, A.F. Globalização, sociedade do conhecimento e educação superior: os sinais de Bolonha e os desafios do Brasil e da América Latina. Brasília: Editora UnB, 2011.

MORA, J.G.; SERRA, M.A.; VIEIRA, M.J. Social Engagement in Latin American Universities. Higher Education Policy, 2017. Doi:10.1057/s41307-017-0069-1

NIEROTKA, R.L.; TREVISOL, J.V. Os jovens das camadas populares na universidade pública: acesso e permanência. R. Katál., Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 22-32, 2016.

NÓVOA, A. Em busca da liberdade nas universidades: para que serve a investigação em educação? Revista Lusófona de Educação, n. 28, p.11-21, 2014.

NÓVOA, A. O futuro da universidade: o maior risco é não arriscar. Revista Contemporânea de Educação, v.14, n.29, p.54-70, 2019.

PEDROSA, J. Autonomy and Accountability in University Governance. In: BERGAN, S. et al.(ed.). Leadership and Governance In Higher Education, v. 1, Berlin: Raabe Academic Publishers, 2014, p.23-39.

RIBEIRO, D. Universidade para quê? Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1986.

ROLIM, C.; SERRA, M. Instituições de Ensino Superior e Desenvolvimento Regional: O Caso da Região Norte do Paraná. Revista de Economia, v. 35, n. 3 (ano 33), p. 87-102, set./dez, 2009.

SANTOS, B.S.; ALMEIDA FILHO, N. A Universidade no Século XXI: Para uma Universidade Nova. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

SCHÜTZ, J.A.; FUCHS, C.; COSTA, C.O. Universidade, pesquisa e docência: reflexões críticas sobre os abusos do atual governo. Rev. Tempos Espaços Educ., v.13, n. 32, e-12530, 2020.

SEABRA SANTOS, F.; ALMEIDA FILHO, N. A quarta missão da Universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento. Brasília: EdUnB; Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

TAVARES, M.; GOMES, S. Fundamentos epistemológicos da matriz institucional dos novos modelos de educação superior no Brasil: uma abordagem qualitativa dos documentos Institucionais da Universidade Federal do ABC. Educ. Soc., Campinas, v. 39, n. 144, p. 634-651, 2018.

THIENGO, L.C.; BIANCHETTI, L; DE MARE, C.L. Rankings acadêmicos e universidades de classe mundial: relações, desdobramentos e tendências. Educ. Soc., Campinas, v. 39, n. 145, p. 1041-1058, 2018.

TRAINA-CHACON, J.M.; CALDERÓN, A.I. A expansão da educação superior privada no Brasil: do governo de FHC ao governo de Lula. Revista Iberoamericana de Educación Superior (RIES), México, UNAM-IISUE/Universia, v. 6, n. 17, p. 78-100, 2015.

TRINDADE, H. Por um novo projeto universitário: da “Universidade em ruínas” à “Universidade Emancipatória”. In: SOUSA JÚNIOR, J.G.(Org.). Da Universidade necessária à Universidade emancipatória. Brasília: Editora UnB, 2012, p.89-142.

Publicado
2020-07-06
Como Citar
Bizerril, M. X. A. (2020). O processo de expansão e interiorização das universidades federais brasileiras e seus desdobramentos. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 13(32), 1-15. https://doi.org/10.20952/revtee.v13i32.13456
Seção
Publicação Contínua