Condições do trabalho docente e de tutoria na EAD: fragilização e precariedade

  • Juliana Cordeiro Soares Branco Universidade do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
  • Daniela Oliveira Ramos dos Passos Universidade do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Trabalho docente, Tutoria, Educação à distância

Resumo

O presente texto visa abordar aspectos relacionados ao trabalho docente na Educação à Distância-EaD. Para tal apresenta estudo bibliográfico e documental sobre o tema, analisa a política Universidade Aberta do Brasil-UAB na perspectiva do trabalho de tutoria e como na contemporaneidade o capitalismo vem alterando a composição da classe trabalhadora, inclusive no âmbito educacional. Como considerações, entendemos que as experiências em EaD seja algo diverso, amplo e com uma multiplicidade de fatores que são positivos, como levar educação a lugares longínquos e de difícil acesso às instituições educacionais presenciais. Porém, o que chamamos a atenção é para a precariedade do trabalho docente e de tutoria que tem aspectos perversos de contratação, fragilização ou inexistência de vínculos empregatícios, além da sobrecarga de trabalho.

Biografia do Autor

Juliana Cordeiro Soares Branco, Universidade do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, UFMG; Docente na Faculdade de Educação da UEMG, Belo Horizonte, Brasil; e do Programa Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação – Mestrado Acadêmico em Educação e Formação Humana – da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (FaE/UEMG); Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação, Comunicação e Tecnologia (NECT) e integrante do Núcleo de Pesquisa em Políticas Públicas Educacionais (NEPPPE).

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2337-2918  

Daniela Oliveira Ramos dos Passos, Universidade do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Docente na Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais, UEMG. Professora do quadro permanente do Programa Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação – Mestrado Acadêmico em Educação e Formação Humana – da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (FaE/UEMG). Integrante dos Núcleos de Estudos e Pesquisas em Educação, Sociologia e Filosofia (NEPESF) e em História da Educação (NEPHE).

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3087-0694  

Referências

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 16 ed. São Paulo: Cortez, 2015.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2009.

BARRETO, H. Aprendizagem por televisão. In: LITTO, Frederic Michael; FORMIGA, Manuel Marcos Maciel (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Person Education do Brasil, 2009.

BELLONI, M. L. Educação a distância. 4 ed. Campinas: Autores Associados. 2006.

BIANCO, N. R. Del. Aprendizagem por rádio. In: LITTO, Frederic Michael; FORMIGA, Manuel Marcos Maciel (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Person Education do Brasil, 2009.

BRANCO, J. C. S. e PEIXOTO, M. do C. de L. Sistema Universidade Aberta do Brasil. In: MILL, Daniel Ribeiro Silva (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Dicionário. CAMPINAS, Papirus, 2018a.

BRANCO, J. C. S. A educação a distância para o professor em serviço. Belo Horizonte, 2008. 193f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET-MG, 2008.
BRANCO, J. C. S. A formação de professores a distância no Sistema UAB: análise de duas experiências em Minas Gerais. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014. Disponível em http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-9N7GEA/tese_juliana_branco_vers_o_final_26_06.pdf?sequence=1
BRANCO, J. C. S.; PEIXOTO, M. do C. de L. Credenciamento de Instituições de Ensino Superior para Educação a Distância. In: MILL, Daniel Ribeiro Silva (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Dicionário. CAMPINAS, Papirus, 2018b.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES nº 1, de 11 de março de 2016. Define as Diretrizes e Normas Nacionais para a Oferta de Programas e Cursos de Educação Superior na Modalidade a Distância. Brasília: Diário Oficial da União, 11/mar, 2016.

BRASIL. Lei Nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1961.
BRITO, G. S.; COSTA, M. L. F. O processo de seleção do tutor na Universidade Aberta do Brasil UAB: reflexões necessárias. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA – ESUD, 10, 2013, Belém, PA. Disponível em <http://www.aedi.ufpa.br/esud/trabalhos-oral.html>.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede: a era da informação, economia, sociedade e cultura. v. 1 . 6 ed. Tradução Roneide Venancio Majer. São Paulo: Paz & Terra, 2011.

FORMIGA, M. A terminologia da EAD. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. M. M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Person.

FRIGOTTO, G. Educação e formação humana: ajuste neoconservador e alternativa democrática. In: GENTILI, P.; SILVA, T. T. da. Neoliberalismo, qualidade total e educação. 11º ed. Editora Vozes, Petrópolis, 2002.

GOUVÊA, G.; OLIVEIRA, C. I. Educação a distância na formação de professores. Rio de Janeiro: Vieira e Lent, 2006.

LIBÂNEO, J. C. A democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 4ª ed. São Paulo: Loyola, 1986.

MEDEIROS, T. C.. PASSOS, Daniela Oliveira Ramos. Reformas do Ensino Médio e trabalhista: possíveis implicações para educação profissional técnica de nível médio. Revista Trabalho Necessário, v.17, nº 34, set-dez (2019) Disponível em: https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/38054/21781

MILL, D. A Universidade Aberta do Brasil. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. M. M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo, v 2: Person Education do Brasil, 2012.

MILL, D. Educação a distância e trabalho docente virtual: sobre tecnologia, espaços, tempos, coletividade e relações sociais de sexo na Idade Mídia. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

MILL, D. Sobre o conceito de polidocência ou sobre a natureza do processo de trabalho pedagógico na Educação a distância. In: MILL, D.; RIBEIRO, L. R. de C.; OLIVEIRA, M. R. G de (Orgs). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. São Carlos: EdUFSCAR, 2010.

MILL, D.; VELOSO, B.. Precarização do trabalho docente na educação a distância: uma análise sobre o sistema Universidade Aberta do Brasil. In: CIET/EnPED (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias / Encontro de Pesquisadores em Educação à Distância). São Carlos: UFSCar, 2018.

NOGUEIRA, A. M.; NUNES, E.; BARROSO, M. H. A origem do credenciamento: autorização e reconhecimento de universidades. Documentos de Trabalho, n. 96, Rio de Janeiro, junho, 2011. Disponível em http://www.observatoriouniversitario.org.br/documentos_de_trabalho/documentos_de_trabalho_96.pdfhttp://www.observatoriouniversitario.org.br/

NUNES, I. B. A história da EaD no mundo. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. M. M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Person Education do Brasil, 2009.

OLIVEIRA, F. P.; LIMA, C. M. de. O tutor dos cursos de pedagogia das instituições de ensino superior parceiras da Universidade Aberta do Brasil: aspectos da profissionalização. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA – ESUD, 10, 2013, Belém, PA. Disponível em http://www.aedi.ufpa.br/esud/trabalhos-oral.html

PALHARES, R. Aprendizagem por correspondência. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. M. M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Person Educação a distância Education do Brasil, 2009.

PETERS, O. Didática do ensino a distância. Experiências e estágio da discussão numa visão internacional. São Leopoldo: Unisinos, 2006. Tradução Ilson Kayser.

PRATES, A. A. P. Sindicato: Organização e Interesses na Sociedade Capitalista Avançada. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 2, out. 1996.

SARAIVA, T. Educação a distância no Brasil: lições de história. Em aberto, Brasília, ano 16, n. 70, p. 17-27, abr./jun. 1996.

SAVIANI, D. Escola e Democracia. Edição Comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008.

VELOSO B. Trabalho docente na educação a distância: uma abordagem crítica In: VELOSO, B.; SILVEIRA, C. A. B.; LOPES M. M. (Org.). Educação e Tecnologias em Debate: perspectivas sob diferentes áreas do conhecimento. São Carlos: Pedro & João Editores, 2020, p.97-114.

ZUIN, A. A. S. Educação a distância ou educação distante? O Programa Universidade Aberta do Brasil, o tutor e o professor virtual. Educ. Soc., Campinas, v. 27, n. 96, out. 2006.
Publicado
2020-12-14
Como Citar
Branco, J. C. S., & Oliveira Ramos dos Passos, D. (2020). Condições do trabalho docente e de tutoria na EAD: fragilização e precariedade. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 13(32), 1-18. https://doi.org/10.20952/revtee.v13i32.14262
Seção
Publicação Contínua