Problematizing identities and differences: notes post-modern, “(pos)critical” and post-structuralist the school and the curriculum

  • Galdino Rodrigues de Sousa Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
  • Marcos Antônio Rossi Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Curriculum, Post-structuralism, Postmodernities, School

Resumo

This article is  based on  a correlation of bibliographic sources under a qualitative approach, influenced by postmodern society and poststructuralist discussions of knowledge in their descriptions and analyses. Concepts and effects of identities and differences are discussed, as well as their possible conformations in the postmodern school and in the “(post)critical” and poststructuralist curriculum. It is concluded that in post-modernity, the subject assumes different identities from different influences, and the school is an important place for the problematization and construction of this movement, including inside the power relations towards difference. A "(post)critical" curriculum is defended, which does not oppose critical pedagogies and post-critical pedagogies, nor constrain their possible approaches and potential against hegemonic, fighting against social injustices and fostering (trans)formations and/or pluralization of identities . Furthermore, in this curriculum, in addition to broadly considering postmodern issues, post-structuralist issues are also considered, especially with regard to schools and the curriculum itself as practices of meaning and representation.

Biografia do Autor

Galdino Rodrigues de Sousa, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
Marcos Antônio Rossi, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.

Referências

ABRAMOWICZ, A., et al. (2020). A diferença e a diversidade na educação. Contemporânea, São Carlos, 2, 85-97.

ARROYO, M. G. (2013). Currículo, território em disputa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

CANDAU, V. M. F. (2011). Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, 11(2), 240-255.

COSTA, B. M. S. (2013). A escola como espaço de memórias e formação de identidade(s). Movendo Ideias. 18(2), p. 22-26.

DAOLIO, J. (org.). (2010). Educação Física escolar: olhares a partir da cultura. Campinas-SP: Autores Associados.

DEVÍS-DEVÍS, J. La investigación sociocrítica en la Educación Física. (2012). Estudios Pedagógicos, 38(número especial), 125-153. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-07052012000400008

FRASER, N.; JAEGGI, Rahel (2020). Capitalismo em debate: uma conversa na teoria crítica. Tradução Nathalie Bressiani. 1. ed. São Paulo: Boitempo.

FREIRE, P. (2020). Política e Educação. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

GHANEM, E, NEIRA, M. G. (org.) (2014). Educação e diversidade cultural no Brasil: ensaios e práticas. Araraquara, SP: Junqueira & Marin.

GIROUX, H. A. (1993). O Pós-Modernismo e o Discurso da Crítica Educacional. In: SILVA, T. T. (Org). Teoria educacional crítica em tempos pós-modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, 207-254.

GONZÁLEZ REY, F. L. (2002). Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios. Tradução de Mancel Aristedes Ferrada Silva. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

HALL, S. (2015). A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. 4. ed. Rio de Janeiro: GP&A.

HALL, S. (2016). Cultura e representação: Trad. Daniel Miranda e William oliveira. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: Apicuri.

HORKHEIMER, M. (1980) Teoria Tradicional e Teoria Crítica. In: BENJAMIN, Walter; HORKHEIMER, M, ADORNO, T, HABERMAS, J. (Org). Textos Escolhidos. São Paulo: Abril Cultural. (Os Pensadores).

LACLAU, E. (1990). New Reflections on the Revolution of Our Time. London: Verso.

LOPES, A. C., MACEDO, E. (2011). Teorias de currículo. São Paulo: Cortez.

LOPES, A. C. (2013). Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade e culturas. 39, 7-23.

MOREIRA, Â. F. B. (1999). A crise da teoria curricular crítica. In: COSTA, M. V. (Org.). O currículo nos limiares do contemporâneo. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 11-36.

NEIRA, M. G. (org.). (2019). Educação Física cultural: inspiração e prática pedagógica. 2. ed. Jundiaí: Paco.

SANTOS, B. S. (2019). O fim do Império Cognitivo: a afirmação das epistemologias do sul – 1ª Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

SILVA, T. T. (2014). Identidade e Diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais. Tomaz Tadeu da Silva (Org.) Stuart Hall, Kathryn Woodward. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

SILVA, T. T. (2013). Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica.

SILVA, T. T. (2010). O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. 1.ed., 4. Reimp. Belo Horizonte: Autêntica.

SILVA, T. T. (Org.). (1996). Identidades terminais: as transformações na política da pedagogia e na pedagogia da política. Petrópolis: Vozes.

SILVA, T. T. (Org.). (1993). Teoria educacional crítica em tempos pós-modernos. Porto Alegre: Artes Médicas.

SOUSA, G. R. (2020). Pedagogias (pós)críticas da Educação Física: (re)organizações político-epistemológicas. 2020. 147 f. Tese (Doutorado)– Curso de Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, UFES, Vitória- ES.
Publicado
2022-04-03
Como Citar
Sousa, G. R. de, & Rossi, M. A. (2022). Problematizing identities and differences: notes post-modern, “(pos)critical” and post-structuralist the school and the curriculum: . Revista Tempos E Espaços Em Educação, 15(34), e16491. https://doi.org/10.20952/revtee.v15i34.16941