Psychology of art: art Frida Khalo’s in the formation of the mind from the cultural-historical perspective of Vygotsky

  • Ana Ignez Belém Lima Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
  • Edjôfre Coelho de Oliveira Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
  • Suzanne Rocha Bandeira Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
Palavras-chave: Affectivity. Human formation. Psychology of art.

Resumo

The study presents as object the understanding of art in the formation of the psychism under the cultural-historical perspective of Vygotsky (1991, 1999, 2004). For that, it was opted for the accomplishment of a documental bibliographical research, in order to raise bigger data and dialogues about the thematic inside the vigotskian work. It was used, for this, the book "Psychology of Art" as a starting point for such discussions following a dialectical method for the construction of new debates with the other authors presented here. Through art, the human being expresses the unconscious contents, according to a cultural-historical perspective, becoming capable of transforming himself and others through his affections. As an example, the autobiographical work of the painter Frida Kahlo stands out, bringing some of her paintings and the importance of this in her process of dealing with reality. Affectivity is presented as a fundamental element in the formation of personality, participating in the choice of the contents to be meant. Finally, it is discussed how art and affectivity act in human formation, the suppression of emotions in the current capitalist society and the need to rescue this sensibility for humanity.

Biografia do Autor

Ana Ignez Belém Lima, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (1989), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (1995) e doutorado em Ciencias de la Educación - Universidad de Santiago de Compostela/Espanha (2004) e Pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal do RioGrande do Norte (UFRN). Atualmente, é professora adjunta da Universidade Estadual do Ceará das áreas de Psicologia da Educação e Psicologia Clínica,nas quais também é supervisora, lecionando também no Programa de Pós Graduação em Educação da UECE. Lidera o grupo de pesquisa Psicologia Histórico-Cultural e Saúde Mental e coordena o Laboratório de Estudos da Subjetividade e Saúde Mental do curso de Psicologia da UECE. Atua, principalmente, nos seguintes temas: Processos da emoção, Aprendizagem, Neuropsicologia, Subjetividade, Formação Docente, Saúde Mental na escola e Desenvolvimento humano, tendo como eixo teórico central a Psicologia Histórico- Cultural de L.S. Vygotsky. Autora de livros na área de Psicologia da Aprendizagem; Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia Clínica Histórico-Cultural.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6106-9229

 

Edjôfre Coelho de Oliveira, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Doutorando em Educação. Mestre em Ciências da Educação; Esp. em Língua Portuguesa, Esp. em Docência do Ensino Superior, Esp. em Psicopedagogia Clínico-Institucional, Esp. em Gestão Educacional e Esp. em Educação, Desenvolvimento e Políticas Educativas; Graduado em Letras/Português, Pedagogia e Psicologia. Professor e Tutor Pedagógico dos cursos de Psicologia, Direito e Arquitetura & Urbanismo e Coordenador do Núcleo de Apoio Pedagógico - NUAPE do Centro Universitário Santo Agostinho. É, também, Técnico da Secretaria de Estado da Educação do Piauí. Possui experiência com docência no Ensino Superior também como Conferencista e Capacitador na área educacional, psicologia da educação, educação especial, linguística e de metodologia científica. Autor dos livros: Bullying na escola: como pais e professores lidam com essa violência? e Da escola à universidade: a construção do saber por meio da pesquisa.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4416-3253

Suzanne Rocha Bandeira, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Mestra em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (2021), onde foi bolsista de pesquisa da FUNCAP-CE. Psicóloga pela Universidade Estadual do Ceará (2017). Experiência nas áreas Clínica e Educacional, e na Educação Permanente em Saúde no Hospital Gonzaga Mota (Fortaleza/CE). Tem interesse nos temas da Psicologia da Educação, com enfoque no cuidado emocional docente; relações e vínculos na escola; desenvolvimento e aprendizado na adolescência; em Psicologia Clínica, cultura e suas interfaces com a arte, emoção e criatividade.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2474-8393

Referências

Aguiar, W. M. J. (2009). Reflexões sobre sentido e significado. In: Bock, A. M. B.; Gonçalves, M. da G. M. (2009). A dimensão subjetiva da realidade: uma leitura sócio-histórica. São Paulo: Cortez, p. 54-72.

Almeida, M. R. (2011, novembro). Psicopatologia e Psicologia sócio-histórica: notas preliminares. In: Anais do Encontro Brasileiro de Educação e Marxismo, Florianópolis, SC, Brasil, 9.

Barroco, S. M. S., & Superti, T. (2014). Vigotski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicol. Soc., 26(1), 22-31. https://doi.org/10.1590/S0102-71822014000100004

Brognoli, I. S. (2009). Frida Kahlo: uma célula revolucionária entre as cores e as dores. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Cansi, L. S., & Requião, R. A. (2020). A poética na docência: a apresentação do mundo pelo “artista-professor”. Revista Pedagógica, 22, 1-18. https://doi.org/10.22196/rp.v22i0.4771

Carvalho, S. R., & Martins, L. M. (2011). A sociedade capitalista e a inclusão/exclusão. In: Facci, M. G. D., Meira, M. E. M., & Tuleski, S. C. (2011). A exclusão dos “incluídos”: uma crítica da psicologia da educação à patologização e medicalização dos processos educativos. Maringá: Eduem, p. 17-35.

Faria, P. M. F., & Dias, M. S. L., & Camargo, D. (2019). Arte y catarsis para Vigotski em Psicología del Arte. Arq. bras. psicol., 71(3), 152-165. http://dx.doi.org/10.36482/1809-5267.ARBP2019v71i3p.152-165.

Freres, H. A., & Rabelo, J., & Segundo, M. D. M. (2008). O papel da educação na sociedade capitalista: uma análise onto-histórica. In: Anais do Congresso Brasileiro de História da Educação, Aracaju, SE, Brasil, 5.

Khalo, F., & Rivera, D. (1931). As Bodas. Coleção Albert M. Bender, São Francisco, Estados Unidos.

Khalo, F. (1932). Henry Ford Hospital: the flying bed. Colección de Dolores Olmedo Patiño. Cidade do México, México.

Khalo, F. (1944). A coluna partida. Colección de Dolores Olmedo Patiño. Cidade do México, México.

Khalo, F. (1953). Diário Pessoal. Cidade do México, México.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo, Atlas.

Lima, T. C. S., & Mioto, R. C. T. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev. Katálysis, 10(1), 37-45.

Luria, A. R. (1992). A construção da mente. Tradução de: Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo, Ícone.

Martins, L. M. (2016). A dinâmica consciente/inconsciente à luz da psicologia histórico-cultural. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 11(2), 678-689.

Marx, K. (1996). O Capital: crítica da economia política. São Paulo, Nova Cultural.

Noehles, L. R. (2013). O não-surrealismo de Frida Kahlo. Conhecimento e Diversidade, 5(9), 28-36. http://dx.doi.org/10.18316/1235

Santos, L. G. dos; Leão, I. B. (2014). O inconsciente sócio-histórico: aproximações de um conceito. Psicol. Soc., 26(1), 38-47.

Schüli, V. M. (2011). A Dimensão formativa da arte no processo de constituição da individualidade para-si: a catarse como categoria psicológica mediadora segundo Vigotski e Lukács. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Siqueira-Batista, R. (2014). Arte e dor em Frida Kahlo. Rev. dor, 15(2), 139-144. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S180600132014000200139&lng=en&nrm=iso.

Toassa, G. (2006). Conceito de consciência em Vigotski. Psicol. USP, 17(2), 59-83. https://doi.org/10.1590/S0103-65642006000200004

Vassilieva J., & Zavershneva E. (2020). Vygotsky’s “Height Psychology”: Reenvisioning General Psychology in Dialogue With the Humanities and the Arts. Reviewof General Psychology, 24(1), 18-30. https://doi.org/10.1177/1089268020902723

Vigotski, L. S. (1991). Obras escogidas: problemas teóricos y metodológicos de la psicologia. Trad. Amelia Alvarez e Pablo Del Rio. Madrid: Visor.

Vigotski, L. S. (1999). Psicologia da Arte. São Paulo, Martins Fontes.

Vigotski, L. S. (2004). Teoria de las emociones: estudio histórico-psicológico. Tradução: Judith Viaplana. Madrid, Espanha, Ediciones Akal.

Wortmeyer, D. S., Silva, D. N. H., & Branco, A. U. (2014). Explorando o território dos afetos a partir de Lev Semenovich Vigotski. Psicol. estud., 19(2), 285-296. https://doi.org/10.1590/1413-737223446011

Publicado
2022-06-14
Como Citar
Lima, A. I. B., Oliveira, E. C. de, & Bandeira, S. R. (2022). Psychology of art: art Frida Khalo’s in the formation of the mind from the cultural-historical perspective of Vygotsky. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 15(34), e17419. https://doi.org/10.20952/revtee.v15i34.17419