The use of active teaching-learning methodologies as an appealing tool for admission to the medical school in Lagarto campus

  • Carleane Soares da Silva Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, Brasil.
  • Elder Silva Correia Faculdade do Nordeste da Bahia, João Sá, Bahia, Brasil.
Palavras-chave: Active methodologies. Lagarto Campus. Medicine. Teaching-learning.

Resumo

Since 2009 the Federal University of Sergipe, Campus Professor Antônio Garcia Filho, located in the city of Lagarto, uses the so-called active methodologies on Health Courses. This article aims to question a group of beginners in the Medical School (class 2021.1) about how the use of active methodologies was decisive in the choice of the course and Campus. To data collection, we interviewed students and conducted a document analysis, interpreted by discourse analysis approach. As a result, we identified in the participants' speeches that those methodologies were decisive in their choices and they believed that active methodologies will better prepare them for a new moment in Medicine, highlighting that the appealing based on the belief that they are capable of promoting the formation of a “distinguished” physician. Finally, we point out the need for a critical look on active methodologies in the sense that they can provide opportunities for educational participation, paradoxically, they can support the neoliberal logic.

Biografia do Autor

Carleane Soares da Silva, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, Brasil.

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Sergipe. É Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. Integrante do grupo de pesquisa Corpo e Política da UFS. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política e Filosofia da Ciência. Desenvolve estudos voltados para a temática da Educação do Corpo e sua relação com a Técnica/Tecnologia/Política.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-9173-0708

Elder Silva Correia, Faculdade do Nordeste da Bahia, João Sá, Bahia, Brasil.

Doutor em Educação Pela Universidade Federal de Sergipe - UFS. Professor do Departamento de Educação Física da Universidade do Nordeste da Bahia - FANEB. Membro do grupo de pesquisa "Corpo e política".

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8403-2226

Referências

Bártolo, J. (2007). Corpo e sentido: estudos intersemióticos. Covilhã: Livros LabCom

Bordenave, J. D., & Pereira, A. M. (2004) Estratégias de ensino aprendizagem. Petrópolis: Vozes.

Branda, L. A. (2018). A aprendizagem baseada em problemas: o resplendor tão brilhante de outros tempos. In: Araújo, U., & Sastre, F. G. Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. São Paulo: SUMMUS, p. 205-236.

Brasil (2007). Decreto 6096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - REUNI. Brasília, DF, Diário Oficial da União, 25 abril de 2007. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6096.htm.

Brasil (2014). Ministério da Educação. Resolução nº 3, de 20 de junho de 2014. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Medicina. Brasília, DF, Diário Oficial da União, 20 de junho de 2014. https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/pdf/CNE_RES_CNECESN32014.pdf

Cavalcante, A. N., Lira, G.V., Neto, P. G. C., & Lira, R. C. M. (2018). Análise da Produção Bibliográfica sobre Problem-Based Learning (PBL) em Quatro Periódicos Selecionados. Revista brasileira de educação médica, 42(1), 13–24. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v41n4RB20160066

Cyrino, E. G., & Toralles-Pereira, M. L. (2004). Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Caderno Saúde Pública, 20(3) 780–788. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000300015

Enemark, S., & Kjaersdam, F. (2018). A ABP na teoria e na prática: a experiência de Aalborg na inovação do projeto no ensino universitário. In: Araújo, U., & Sastre, F. G. Aprendizagem Baseada em Problemas no ensino superior. São Paulo: SUMMUS, p. 17-42

Foucault, M. (2008a). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (2008b). Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes.

Friedlaender, G. M. (2004). Metodologia de ensino-aprendizagem visando o comportamento empreendedor. [Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina]. https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/87749

Galak, E. (2017). La curricularización del cuerpo. In: Crisorio, R., & Escudero, C. Educación del cuerpo: currículum, sujeto y saber. Argentina: Universidad Nacional de La Plata, p. 191-198. https://memoria.fahce.unlp.edu.ar/libros/pm.504/pm.504.pdf

Gomes, A. P., & Rego, S. (2011). Transformação da Educação Médica: É possível formar um novo médico a partir de mudanças no método de ensino e aprendizagem? Revista Brasileira de Educação Médica, 35(4), 557–566. https://doi.org/10.1590/S0100-55022011000400016

Irala, V. B., Blass, L.., & Ribeiro, E. S. (2020). Passando a limpo a PBL (Problem-based learning): uma revisão internacional ultra-recente. Revista Educar Mais, 4(3), 834–850. https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.2085

Lopes, R. M., Filho, M. V. S., & Alves, N. G. (2019). Aprendizagem baseada em problemas: fundamentos para a aplicação no ensino médio e na formação de professores. Rio de Janeiro: Publiki.

Mitre, S. M., Siqueira-Batista, R., Meirelles, C. A. B., Girardi-de-Mendonça, J. M., Morais-Pinto, N. M., Pinto-Porto, C., Moreira, T., & Hoffmann, L. M. A. (2008). Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Revista Ciência e saúde coletiva, 13(2), 2133–2144. https://doi.org/10.1590/S1413-81232008000900018

Ribeiro, L. R. (2008). Aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. São Carlos: EdUFSCar. https://books.scielo.org/id/w57z2

Ribeiro, E. S., & Irala, V. B. (2020). Uso da Metodologia Problem-BasedLearning pelas diferentes áreas do conhecimento no Brasil: uma revisão integrativa. Revista CPAQV –Centro de Pesquisas avançadas em qualidade de vida, 12(3), 1-12. https://doi.org/10.36692/v12n3-17r

Romão, G. S., Bestitti, R. B., & Couto, L. B. (2020). Aplicação do PBL Clínico na Atenção Primária em Cursos de Medicina. Revista brasileira de educação médica, 44 (4), e143. https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.4-20200115

Rose, N. (2013). A política da própria vida: biomedicina, poder e subjetividade no século XXI. São Paulo: Paulus.

Silva, T. T. (1995). O projeto educacional moderno: identidade terminal? In Veiga- Neto, A. Crítica pós-estruturalista e educação. Porto Alegre: SULINA, p. 245-260.

Silva, C. S. (2022). Educação do corpo e o adiamento da morte via tecnologia: Lançando um olhar sobre a formação em Medicina no Campus de Lagarto. [Dissertação de Mestrado não publicada]. Universidade Federal de Sergipe.

Sutz, J. (1997). The new role of university in the productive sector. In. Etzkowitz, H., & Leydesdorff, L. Universities and the globlal knowledge economy: a triple helix of

university-industry-government relations. New York: CONTINUUM, p. 11-20

UFS. (2018). Guia do calouro de Medicina Lagarto http://lagarto.ufs.br/uploads/page_attach/path/4128/Guia_2018_-_Medicina.pdf.

UFS. (2012). Alterações no Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Medicina, do Centro Campus Universitário Prof. Antônio Garcia Filho.https://lagarto.ufs.br/uploads/page_attach/path/2514/082012__PPC_medicina_UFS__Lagarto.pdf

Publicado
2022-06-14
Como Citar
Silva, C. S. da, & Correia, E. S. (2022). The use of active teaching-learning methodologies as an appealing tool for admission to the medical school in Lagarto campus. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 15(34), e17514. https://doi.org/10.20952/revtee.v15i34.17514