The use of Design Thinking in the development of digital games for the teaching of chemistry in basic education

  • Rander Silva Morais Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
  • Letícia Rodrigues da Fonseca Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Teaching Chemistry. Digital games. Design Thinking.

Resumo

This study aimed to describe how Design Thinking can contribute to the development of digital games for the teaching of Chemistry, considering the needs of educators who teach this discipline and the reality of the students in which they are inserted. It was carried out through an applied research, with the digital game with the teaching staff and high school students of a private Basic Education Institution, located in a municipality in the southern region of Minas Gerais. Still, through the exploratory-descriptive study, with a qualitative approach, to understand how the Digital Quiz developed was enough to promote meaningful learning of Chemistry contents. Through the speech of teachers and students, through evaluation of the experimentation process, it was found that the digital game developed has potential as an innovative and active method for teaching Chemistry. It was concluded that Design Thinking can favor the process of developing digital games for the teaching of Chemistry, considering the needs of educators and the reality in which their students are inserted, and that through the evaluation of the participants, it is possible to ensure that the process asserts itself as methodological, innovative and active for the promotion of meaningful learning.

Biografia do Autor

Rander Silva Morais, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.
Letícia Rodrigues da Fonseca, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais, Brasil.

Referências

Alves, L. M. (2018). Gamificação na Educação: aplicando metodologias de jogos no ambiente educacional. Joinville: Clube de Autores.

Augustinho, E., & Vieira, V. S. (2021). Aprendizagem significativa como alicerce para metodologias ativas no ensino de ciências: uma interlocução em prol da educação de jovens e adultos. Nova Revista Amazônica, 9(1), 37-49. http://dx.doi.org/10.18542/nra.v9i1.10027

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Belo, T. N., Leite, L. B. P., & Meotti, P. R. M. (2019). As dificuldades de aprendizagem de química: um estudo feito com alunos da Universidade Federal do Amazonas. Scientia Naturalis, 1(3), 1-9.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica.

Brown, T. (2010). Design thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier.

Chaves, J. F., & Meotti, P. R. (2019). Dificuldades no Ensino Aprendizagem e Estratégias Motivacionais na Disciplina de Química no Instituto Federal do Amazonas-Campus Humaitá. Revista Educação Sociedade e Meio Ambiente, 12(1), 206-224.

Chon, H., & Sim, J. (2019). From design thinking to design knowing: An educational perspective. Art, Design & Communication in Higher Education, 18(2), 187-200. http://dx.doi.org/10.1386/adch_00006_1

Costa Júnior, I. L. et al. (2020). A Relevância das Mídias Digitais em Educação na Concepção de Acadêmicos de um Curso de Licenciatura em Química. Braz. J. of Develop., 6(10),74211-74229. https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-

Fava, R. (2016). Educação para o século XXI: a era do indivíduo digital. São Paulo: Saraiva.

Frason, F., Laburú, C. E., & Zompero, A. F. (2019). Aprendizagem significativa conceitual, procedimental e atitudinal: Uma Releitura da Teoria Ausubeliana. Revista Contexto & Educação, 34(108), 303-318. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2019.108.303-318

Giffoni, J. S., Barroso, M. C. S., & Sampaio, C. J. (2020). Aprendizagem significativa no ensino de Química: uma abordagem ciência, tecnologia e sociedade. Research, Society and Development, 9(6), 1-14. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3416

Lockwood, T. (2010). Design Thinking: integrating innovation, customer experience, and brand value. New York: Allworth.

Lourenço, R. W., Alves, J. G. S., & Silva, A. P. R. (2021). Por uma aprendizagem significativa: metodologias ativas para experimentação nas aulas de ciências e química no Ensino Fundamental II e Médio. Brazilian Journal of Development, 7(4), 1-9. https://doi.org/10.34117//bjdv7n4-117

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2017). Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Melo, A., & Abelheira, R. (2015). Design thinking & thinking design: metodologia, ferramentas e uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Novatec.

Messeder Neto, H. S., & Moradillo, E. F. (2016). O Lúdico no ensino de Química: considerações a partir da psicologia histórico-cultura. Química Nova na Escola, 38(4), 360-368. https://doi.org/10.21577/0104-8899.20160048

Nascimento, R. M. F., & Leite, B. S. (2021). Design thinking no ensino de ciências da natureza - quais são objetivos e aplicações nos trabalhos publicados entre 2010 e 2020? Revista UFG, 21(27), 1-30. https://doi.org/10.5216/revufg.v21.69657

Prensky, M. (2012). Aprendizagem baseada em jogos digitais. São Paulo: Senac.

Rocha, A. C.; & Cabral Neto, J. S. (2021). Uso da gamificação no ensino de Química. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, 7(1), 1-14. https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1513

Santos, J. A. G. (2020). A utilização de metodologias ativas, através de sequências didáticas, como suporte na aprendizagem de conteúdos de Química para alunos do Ensino Médio. Dissertação (Mestrado Profissional em Química). Maceió: Universidade Federal de Alagoas.

Santos, E. Q., & Fonseca, L. R. (2021). Development of active-teaching methodologies through the design thinking. Research, Society and Development, 10(14), 1-17. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.21752

Santos, T. C. M., & Veiga, J. S. (2021). Ensino Criativo em Química: uso da Linguagem de Programação Scratch no Ensino Médio para a Aprendizagem Significativa das Funções Inorgânicas. Revista Pluri Discente, 13(1), 129-134.

Silva, W. L. (2021). A dificuldade do ensino aprendizado no exercício da Química no Ensino Médio de algumas escolas públicas do interior do Tocantins. Facit Business and Technology Journal, 1(23), 208-221.

Silva, F. G. B. (2020). Trilha orgânica: a influência do jogo digital na aprendizagem de funções orgânicas oxigenadas com alunos da 3ª série do Ensino Médio. Dissertação (Mestrado em Ensino). Mossoró: Universidade Estadual do Rio Grande do Norte.

Silva, J. C. S., & Bianco, G. (2020). Jogos didáticos: a formação educativa através de uma aprendizagem significativa e um currículo adaptado por projetos. Research, Society and Development, 9(9), 1-17.

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7969

Stroher, J. N.; Henckes, S. B. R.; Gewehr, D.; & Strohschoen, A. A. G. (2018). Estratégias Pedagógicas Inovadoras Compreendidas como Metodologias Ativas. Revista Thema, 15(2), 734-747. https://doi.org/10.15536/thema.15.2018.734-747.891

Valadares, B. H. A. (2020). The design thinking as methodology in the contemporary legal education. Research, Society and Development, 9(9), 1-21. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7292

Publicado
2022-09-12
Como Citar
Morais, R. S., & Fonseca, L. R. da. (2022). The use of Design Thinking in the development of digital games for the teaching of chemistry in basic education. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 15(34), e17778. https://doi.org/10.20952/revtee.v15i34.17778