FORMAÇÃO EM PESQUISA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

  • Francione Charapa Alves Universidade Federal do Cariri - UFCA
  • Lia Machado Fiuza Fialho Universidade Estadual do Ceará – UECE http://orcid.org/0000-0003-0393-9892
  • Maria Socorro Lucena Lima Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB

Resumo

O artigo trata da pesquisa educacional, mais especificamente, sobre a formação do professor pesquisador da Educação Básica.  Objetivou compreender se os conhecimentos acerca da metodologia da pesquisa-ação crítica colaborativa, fomentados desde a articulação entre docentes da Educação Superior e Básica, poderiam contribuir para formação do professor pesquisador do Ensino Fundamental. Participaram do estudo três professores pós-doutores vinculados à universidade e sete professores do ensino fundamental da escola de educação básica Doutor Danúzio Ferrer, Lavras da Mangabeira-Ceará. A coleta de dados foi realizada mediante entrevistas individuais – gravadas, transcritas e textualizadas – e a realização de vinte encontros de formação. Constatou-se que todas as professoras consideravam a importância da pesquisa, mesmo não havendo experiência de pesquisas sobre o contexto profissional. A formação demonstrou percepção positiva por fomentar: o desenvolvimento pessoal e profissional com a socialização de experiências; segurança para ministrar o conteúdo de maneira contextualizada; desenvolvimento da reflexão crítica; empoderamento para elaboração e execução de ações com vistas à transformação social; capacitação para ser pesquisador.

Biografia do Autor

Francione Charapa Alves, Universidade Federal do Cariri - UFCA
Professora Adjunta da Universidade Federal do Cariri- UFCA.Pós-doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará-UECE. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará- UFC/CAPES-DS, linha Educação, Currículo e Ensino ( 2012-2016). Doutorado Sanduíche na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa- UL, Portugal (2015-2016). Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Ceará- UECE, linha de pesquisa Didática e Formação Docente/CAPES (2009-2011). Especialista no Ensino de Língua Portuguesa pela Universidade Regional do Cariri - URCA (1998). Graduada em Pedagogia pela Estácio de Sá-UNESA (2017). Licenciatura em Filosofia pela Faculdade de Ciências e Letras de Cajazeiras- FAFIC (2007); bacharelado em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri -URCA (1997) e licenciada no Ensino de Matemática para o Ensino Fundamental e Médio pela Universidade Estadual do Ceará- UECE. Vinculada ao Grupo de Pesquisa Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências da Natureza, Tecnologia e Educação - INCINATE, Cnpq e ao Grupo de Pesquisa Currículo, subjetividade e desenvolvimento profissional docente- Cnpq.
Lia Machado Fiuza Fialho, Universidade Estadual do Ceará – UECE

Professora  Doutora  do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará.

Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2012), Pós-doutorada em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2014). Professora Adjunta do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará, Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UECE) e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas. Editora chefa da coleção Práticas Educativas (EdUECE). Líder do Grupo de Pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades - PEMO. Editora chefa da revista Educação & Formação do PPGE/UECE. Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/PEDAGOGIA/UECE).

Maria Socorro Lucena Lima, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB
Doutora em Educação na área de Didática, Teorias de Ensino e Práticas Escolares pela Universidade de São Paulo - USP (2001) com Pós-doutorado em Educação junto ao Departamento de Metodologia de Ensino e Educação Comparada na Universidade de São Paulo-USP (2007), com Estágio na Universidade do Minho-Portugal. Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará - UFC (1995), Graduada em Letras (1971) e em Pedagogia (1978) pela Universidade Regional do Cariri - URCA. Integra o quadro de pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Educação-PPGE da Universidade Estadual Estadual - UECE, na linha Docência no Ensino Superior e na Educação Básica. Professora Visitante da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB. Pertence ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação de Educadores - GEPEFE e Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Formação do Educador e ELOSS - Educação e Cooperação Su -Sul - UNILAB.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

_____. Pesquisa, formação e prática docente. In ANDRÉ, M. (org.) O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 55-70 .

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Tradução de Lucie Didio. Brasília: Liber Livro Editora, 2007.

BEILLEROT, J. A “pesquisa”: esboço de uma análise. In ANDRÉ, M. (org.) O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas, SP: Papirus, 2001.

CHAUÍ, M. Convite a Filosofia. São Paulo: Ática, 1996.

COSTA, E. A. S. Práticas de leitura na formação de professores. 2010. 165 f. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2010.

CORBISIER, R. Introdução à Filosofia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. The teacher research movement: a decade later: Educacional Researcher, v. 28, n.7, p. 15-25, 1999.

DIONNE, Hugues. A pesquisa-ação para o desenvolvimento local. Brasília: Liber Livro, 2007.

ELLIOTT, J. La investigación – acción en educación. 5 ed. Madri: Morata, 2005. Col. Pedagogia.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da pesquisa-ação. Educ. Pesqui. [online]. v.31, n.3, p.483-502, 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022005000300011. Acesso em: 31 de jan. 2018.

________. Prática docente universitária e a construção coletiva de conhecimentos: possibilidades de transformações no processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Cadernos Pedagogia Universitária, 2009. Disponível em: http://www.prpg.usp.br/attachments/article/640/Caderno_10_PAE.pdf. Acesso em: 31 de jan. 2018.

FRANCO, M. A. S; LISITA, Verbena M.S.S. Pesquisa-ação: limites e possibilidades na formação docente. In :PIMENTA, S. G.; FRANCO, M. A. S. (orgs.). Possibilidades Investigativas/ formativas da pesquisa-ação. São Paulo, Loyola, 2008. (Vol. 2). p. 41-70.

GALIAZZI, M. C.. Educação pela pesquisa como ambiente de formação do professor. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. 6. Jul./Ago./set., 2001.

GATTI, B. A. Formação do professor pesquisador para o ensino superior: desafios. Psicologia da Educação, São Paulo, n.16, jan./jun., p. 73-82, 2003.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. Professores do Brasil:impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. 293p.

GHEDIN, E. L.; FRANCO, M. A. S. Questões de método na construção da pesquisa em educação. São Paulo: Cortez, 2008. (Col. Docência em Formação. Série Saberes Pedagógicos).

LIMA, M. S. L. Vida e trabalho: a formação em contexto, articulando a formação contínua e o desenvolvimento profissional de professsores e coordenadores da rede pública municipal de ensino. 2010. (Relatório CNPq).

LISTON, D. P. ZEICHNER, K. M. Formación del profesorado y condiciones sociales de la escolarización. 3 ed. Tradução: Pablo Manzano. Madrid: Morata, 2003. Col. Educacion Crítica.

LÜDKE, M. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação e Sociedade, ano XXII, n. 74, abr., p.77-96 , 2001.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

NÓVOA, A. O Professor Pesquisador e Reflexivo. Entrevista concedida em 13 de Setembro de 2001. Disponível em: http://www.tvebrasil.com.br/salto/entrevistas/ antonio_novoa.htm .Acesso em 18 de mai. 2016.

PEREIRA, J. E. Diniz e ALLAIN, L. R. Considerações acerca doprofessor-pesquisador:a que pesquisa e a que professorse refere essa proposta de formação? Olhar de professor, Ponta Grossa,v. 9, n. 2, p. 269-282, 2006.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2005.

PIMENTA, Selma Garrido. Pesquisa-ação crítico colaborativa:construindo seu significado a partir de experiências de formação e na atuação docente. In.: PIMENTA, S. G. GHEDIN,E.; FRANCO, M. A. S. (Org). Pesquisa em educação: alternativas investigativas com objetos complexos. São Paulo, Loyola, 2006, p. 25-64.

SANTOS, L. C. P. Dilemas e perspectivas na relação entre ensino e pesquisa. In ANDRÉ, M. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2008. p. 11-26.

STENHOUSE, L. La investigación como base de la ensenãnza.6 ed. Madri: Morata, 2007. Col. Pedagogia.

____________. Investigación y desarrolo del curriculum.5 ed. Madrid: Morata, 2003. Col. Pedagogia.

SHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 51-76 .

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa - Ação. 4 ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 2007.

ZEICHNER, K.M. O professor como prático reflexivo. In: ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva dos professores: idéias e práticas. Lisboa, Educa, 1993. p. 13-28.

LEWIN, K. Action research and minority problems. Journal of Social Issues, n. 2, p. 34-36, 1946. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1540-4560.1946.tb02295.x/full. Acesso em 27 dez. 2017. DOI: 10.1111/j.1540-4560.1946.tb02295.x

Publicado
2018-09-21
Como Citar
Alves, F. C., Fialho, L. M. F., & Lima, M. S. L. (2018). FORMAÇÃO EM PESQUISA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Revista Tempos E Espaços Em Educação, 11(27), 285-300. https://doi.org/10.20952/revtee.v11i27.8582
Seção
Artigos de Demanda Contínua

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##