CHAMADA PARA O NÚMERO 52. VOL. 2 - DOSSIÊ: MODERNISMOS

2022-07-16

DOSSIÊ: MODERNISMOS

Temos como efeméride em 2022 o centenário da Semana da Arte Moderna, evento ocorrido em São Paulo, e que durante muito tempo foi considerado o marco inaugural de nova fase da Arte produzida no Brasil. No entanto, estudos mais recentes têm observado que não devemos nos deter na narrativa apenas desse ponto de vista, já que a pluralidade do país e a efervescência propiciou a atuação de artistas que não estiveram ligados diretamente ao movimento em São Paulo ou mesmo lhe foram precedentes. Na perspectiva desse país plural, fora do eixo da metrópole do café, houve outras iniciativas artísticas que dialogavam com os novos tempos, bem como outras que ferrenhamente se mantiveram ligados à tradição. Houve ainda artistas que, mesmo no epicentro do movimento de 1922, tiveram suas histórias e produções relegadas ao esquecimento. Este dossiê está aberto a trabalhos que, preferencialmente, tratem dos Modernismos brasileiros, revisitando não apenas a Semana da Arte Moderna e seus ecos, mas também tragam novos olhares sobre os antecedentes do evento e seus desdobramentos para a cultura brasileira. Os textos podem versar sobre qualquer manifestação de arte, devem se ater às normas da Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e serem submetidos via sistema desse periódico até 07 de setembro de 2022.

Prof. Dr. Wagner Gonzaga Lemos (USP/UNEB/IHGSE)

Organizador do Dossiê e Sócio do IHGSE