Brasil mestiço: o cruzamento entre as “raças” na perspectiva de Manoel Bomfim

  • Ruth Cavalcante

Resumo

Manoel Bomfim (1868-1932) foi médico, político, professor e escritor. Sua relevância para a historiografia brasileira se deve ao fato de ele ter publicado uma série de obras que fizeram uma reflexão em torno da questão da identidade nacional e sobre quem era o autêntico povo brasileiro. No contexto do fim do século XIX e princípio do século XX, a “mistura entre as raças” dos povos da espécie humana era vista a partir de um prisma negativo e causador da degenerescência entre os seus descendentes. Bomfim, de forma bastante pioneira, defendeu em seu livro A América Latina: males de origem (1905), que a mestiçagem não gerava degeneração, mas sim indivíduos inteligentes, sadios e fortes. Refletir sobre a importância desta concepção é o objetivo deste 1 artigo.
Seção
Volume 1 - Dossiê Manoel Bomfim