“Uma das mais bellas páginas de vosso brilhante passado”:

Barão Homem de Melo, o IHGSE e a invenção do herói de Aracaju (1917)

  • Magno Francisco de Jesus Santos

Resumo

Ao longo da primeira metade do século XX, o exercício de escrita da história do Brasil teve como palcos privilegiados os institutos históricos e geográficos. As casas de memórias, tanto a nacional, assim como as congêneres estaduais atuaram como fábricas de heróis, de composição de enredos que entrelaçavam passados, forjavam marcos históricos, valoravam espaços e pincelavam a face do povo a partir do espelho biográfico. A biografia do herói emergia como o retrato de seu povo. Neste artigo analiso as comemorações promovidas pelo Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe sobre o fundador de Aracaju: Inácio Joaquim Barbosa. Pautado nas notícias de jornais e nas conferências publicadas na Revista do IHGSE, torna-se possível entender como os escritos biográficos do Barão Homem de Melo contribuíram para forjar um retrato dizível para um herói sem face.
Como Citar
Francisco de Jesus Santos, M. (1). “Uma das mais bellas páginas de vosso brilhante passado”: : Barão Homem de Melo, o IHGSE e a invenção do herói de Aracaju (1917). Revista Do Instituto Histórico E Geográfico De Sergipe, 2(50). Recuperado de https://seer.ufs.br/index.php/rihgse/article/view/14578