Edição Atual

v. 10 n. 1 (2019): Jan - Jul 2019: Revista Cadernos do Tempo Presente

Eis mais uma edição dos Cadernos do Tempo Presente. Um lançamento especial em comemoração à nova qualificação da revista na Capes, agora A3 na área de História. Abrindo os trabalhos, temos o texto de Carlos Barros, que procura analisar a crise política pela qual a Espanha vem passando nos últimos anos, resultando recentes ondas de protestos. Assim, o autor se propõe a realizar um trabalho de História Imediata.

 

Partindo para o campo da História Cultural e História da Educação, Ester Fraga Vilas-Bôas Carvalho do Nascimento e Josué dos Santos Alves fazem uma História do Livro por meio da perspectiva das tecnologias digitais. Utilizando-se do método indiciário de Carlo Ginzburg, os autores estudam a criação da Biblioteca Digital de História da Educação e como os materiais disponibilizados contribuem para a circulação de ideias.

 

Ainda pela perspectiva da História Cultural, mais especificamente no campo literário, Thaís Duarte Silvério e Cristiano Cezar Gomes da Silva buscam compreender como o sertão é representado nos poemas de Jessier Quirino. Assim, os autores analisam como a “linguagem matuta” se relaciona aos neologismos e aos chamados “espaços da saudade” para compreender a construção de identidades dos personagens sertanejos.

 

Por outro lado, Joselene Ieda dos Santos Lopes de Carvalho e Tânia Mara de Bastiani realizam uma discussão historiográfica acerca da história dos trabalhadores, a fim de entender como esses sujeitos foram inseridos ou ocultados pela literatura. Dessa maneira, as autoras buscam compreender a importância do ofício do historiador, sua relação com o meio e a contribuição da História Oral para esses estudos.

 

Ainda sobre a história dos trabalhadores e História Oral, Yasminn Escórcio Meneses da Silva e Marcelo de Sousa Neto analisam o trabalho das lavadeiras em Teresina – PI, na década de 1970. São estudadas as novas configurações do trabalho dessas mulheres em um contexto de intensificação do processo migratório, aumento populacional da cidade e transformações dos espaços, decorrentes de uma política de construção de grandes obras. Dessa maneira, o objetivo dos autores consiste em entender como o cotidiano dessas mulheres foi alterado pelas mudanças sofridas pela cidade nesse período através de fontes hemerográficas e entrevistas.

 

Também sobre Teresina na década de 1970, Cláudia Cristina da Silva Fontineles  e Allan Ricelli Rodrigues de Pinho estudam o transporte coletivo da cidade. Por meio da pesquisa em periódicos locais e entrevistas, os autores buscam analisar as transformações decorrentes do processo de modernização pelo qual a cidade passava nesse período, as tensões ocasionadas pelas políticas de transporte coletivo e o papel de grupos sociais que marcaram a memória em torno desses meios de transportes.

 

Entrando no campo da História Econômica, João Américo Tomaz de Aquino e Bernadete Lema Mazzafera traçam a história da contabilidade e a sua evolução decorrente da legislação vigente no Brasil. Dessa forma, os autores procuram compreender como as Ciências Contábeis podem auxiliar nos desenvolvimentos científico, técnico, social, econômico e financeiro tanto em contexto nacional como internacional.

 

Por fim, temos a resenha feita por Daniela Melo Rodrigues da obra de Carlos Meneses de Sousa Santos, “Trabalhadores em movimento: Horizontes abertos em Marechal Cândido Rondon-PR: Segunda metade do século XX e início do XXI”.

 

 

Desejamos boa leitura a todos e todas.

 

Os Editores.

 

Publicado: 2019-12-16
Ver Todas as Edições