A representação do sertão e o “espaço da saudade” na poética de Jessier Quirino

  • Thaís Duarte Silvério
  • Cristiano Cezar Gomes da Silva

Resumo

Recebido:   06/04/2019

Aprovado:   27/05/2019

Publicado: 10/07/2019


O presente artigo busca compreender como o sertão, tema recorrente em importantes obras literárias brasileiras, a exemplo dos clássicos “Os Sertões”, “Vidas secas”, e “Grande sertão: veredas”, é representado na composição dos poemas de Jessier Quirino, cuja tessitura dá-se, diversas vezes, através de uma “linguagem matuta” que se mistura à forte presença de neologismos e aos denominados “espaços da saudade”. Tais espaços ora se dão como referências geográficas, elaboração de cenários interioranos, menções à indumentária e à culinária nordestinas, ora se dão como o próprio espaço do poema, da leitura e escuta dos textos, diversas vezes voltados para um rememorar ou (re)inventar de determinados passados. Interessa-nos compreender como determinadas imagens representadas no poema Zé Qualquer e Chica Boa, contribuem para construir identidades para personagens sertanejas e como contribui para reforçar uma imagem estereotipada daregião.

 

Palavras-chave: Espaços da saudade, Jessier Quirino, representação, memória, sertão.


Publicado
2019-12-16