Ruínas e Memórias de Cuba: Leituras de Reinaldo Arenas e Pedro Juan Gutiérrez a Partir dos Ecos da Revolução

  • José Veranildo Lopes da Costa Junior Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Thays Keylla de Albuquerque Universidade Estadual da Paraíba

Resumo

Recebido: 15/10/2019

Aprovado: 27/11/2019

A literatura latino-americana contemporânea está marcada pela ocorrência de projetos memorialísticos que, dentre outros desdobramentos, revisitam o passado, a partir das escritas de si. Este artigo analisa, brevemente, dois autores cubanos: Reinaldo Arenas, com a obra Antes que anoiteça (1992), e Pedro Juan Gutierréz com Trilogia Suja de Havana (1998). O objetivo é refletir sobre como a literatura narra as ruínas e as memórias do regime de Fidel Castro, no contexto da década de 1990, e como cada um desses autores reconstrói esse período histórico a partir de memórias individuais e coletivas.

Palavras-chave: Literatura cubana. Reinaldo Arenas. Pedro Juan Gutiérrez.

Publicado
2019-12-10
Seção
Dossiê 60 anos da Revolução Cubana e 20 anos da Revolução Bolivariana