Arquivo, memória e Big Data

Uma proposta a partir da Covid-19

  • Ian Kisil Marino Universidade Estadual de Campinas
  • Pedro Telles da Silveira Universidade Estadual de Campinas
  • Thiago Lima Nicodemo Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Recebido: 20/07/2020

Aprovado: 25/07/2020

 

Este artigo busca refletir sobre os impactos das tecnologias digitais nas formas de arquivamento contemporâneo e apresentar a perspectiva de atuação elaborada no âmbito do projeto Memória Covid-19 Brasil, através do trabalho conjunto dos integrantes do Centro de Humanidades Digitais IFCH-UNICAMP e do projeto DéjàVu, da mesma instituição. Primeiro, abordaremos o caráter da memória na contemporaneidade, as tecnologias digitais e o deslocamento do lugar do historiador, principalmente tendo em vista o desafio apresentado pela pandemia do novo coronavírus. Depois, faremos um breve levantamento das iniciativas de arquivamento e constituição da memória da Covid-19 no país, para, em seguida, ressaltar as especificidades da proposta do Centro de Humanidades Digitais IFCH-UNICAMP, incluindo a criação de ferramentas informatizadas para a coleta de publicações. Por fim, retomaremos a importância da adoção de uma postura mais ativa pelos historiadores diante dos problemas contemporâneos, o que implica, também, repensar a constituição das nossas equipes de pesquisa e o aprofundamento da interdisciplinaridade de nossa atuação.

Palavras-chave: História Digital; Memória; Covid-19; Arquivos Digitais; Teoria da História.

Publicado
2020-07-31
Seção
Covid-19, Sociedades & Tempo Presente