A Autoria Feminina na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (1939-2019)

  • Marluce de Souza Lopes Universidade Federal de Sergipe
  • Joaquim Tavares da Conceição Universidade Federal de Sergipe

Resumo

Recebido: 29/04/2020

Aprovado: 01/06/2020

Este artigo tem como objetivo catalogar a produção feminina na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, no período compreendido entre 1939 e 2019, ressaltando a escrita da mulher, bem como as temáticas nas quais a produção está inserida, destacando sua participação como escritora e produtora de cultura. Foram consultadas as edições digitalizadas da Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, disponíveis no site do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. A supremacia masculina na revista foi mantida até 1939, quando surgiram as primeiras colaborações femininas, no entanto, foi a partir dos anos 1970 que esse cenário começou a ser alterado, com a crescente participação das mulheres na publicação de gêneros diversificados, suplantando, em algumas edições, o número de trabalhos masculinos. Foram encontrados 207 textos de autoria feminina, com destaque para Maria Thétis Nunes e Beatriz Góis Dantas, as intelectuais que mais publicaram no periódico analisado.

 Palavras-chave: Autoria feminina, Intelectuais, Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.

Publicado
2021-05-24