Cantando o gênero:

a naturalização da violência contra a mulher na música sertaneja universitária

  • Cíntia Magnus Gomes Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Ismael Gonçalves Alves Universidade do Extremo Sul Catarinense

Resumo

Recebido: 20/07/2020 

Aprovado: 10/06/2021

Objetivamos, por meio desta investigação, analisar os discursos que naturalizam violências praticadas contra as mulheres presentes nas letras de músicas sertanejas. As canções elencadas na pesquisa são do ciclo mais recente do estilo musical sertanejo, o chamado Sertanejo Universitário, datado de 2010. Utilizando o gênero como categoria de análise, identificamos como discursos que compõem as composições estabelecem a partir normas de masculinidade e feminilidade relações de subordinação entre os sexos. Para dar conta da complexidade que envolve a questão da violência contra as mulheres, a pesquisa utiliza-se da Lei 11.340/ 2006, a Lei Maria da Penha, que é dividida em categorias que tentam abarcar de forma mais concreta as diferentes formas deste crime como: violência física e psicológica. Metodologicamente, nos baseamos na de análise do discurso, que nos possibilitou identificar as distintas formas de violência contra as mulheres presentes na música sertaneja universitária.

Palavras-chave: Discursos. Gênero. Mulheres. Música. Violência.

Publicado
2022-01-12