n. 26 (2017): Entre Relações de Poder e Modernização Urbana: as muitas faces da 26ª edição - ISSN: 2179-2143

Cadernos do Tempo Presente

Revista Interdisciplinar de História

Grupo de Estudos do Tempo Presente - UFS

Edição n.º 26, janeiro de 2017

Relações de Poder, Educação, Extrema-direita, Cultura, Rock Brasileiro e Modernização Urbana. Em sua 26ª edição, os Cadernos do Tempo Presente apresenta textos que discutem e dialogam com esses assuntos. Ao contemplar tal diversidade temática em seus trabalhos, nossa revista pretende continuar atendendo a um público amplo de leitores.

Iniciamos esse número com o artigo El poder popular en el espacio comunal venezolano: ¿descentralización o centralismo?, de Rosangel Alvarez. Partindo do pressuposto de que a descentralização promove espaços territoriais e novos centros de poder mais próximos do cidadão, o artigo analisa até que ponto a incorporação do espaço comunal venezuelano como base de organização local do poder popular, viola as disposições constitucionais neste assunto.

Dando continuidade às discussões sobre poder, Eloy Tonon e Soeli Regina Lima tratam das relações de poder envolvidas no processo judicial da Batalha do Irani contra José Fabrício das Neves e outros. Os autores analisaram o perfil socioeconômico dos depoentes, contextualizando com a realidade da sociedade brasileira das primeiras décadas do século XX.

No artigo seguinte, Sara Farias analisa alguns aspectos da história e da atuação do Movimento de Educação de Base (MEB), através dos discursos produzidos por cartilhas, livros, documentos e depoimentos orais.

Também compõe essa edição o texto A Extrema Direita e o etnonacionalismo na Europa Contemporânea: o caso da Aurora Dourada. Nele, Rafael Botton e Guilherme Andrade investigam o surgimento e a ascensão de movimentos de extrema-direita na Europa após a Segunda Guerra Mundial. Os autores enfatizam os movimentos etnonacionalistas e seus desdobramentos sociais e, para isso, abordam o caso do partido fascista Aurora Dourada.

Ainda nesse 26º volume, passeamos entre cultura e rock brasileiro através do trabalho de Jose Augusto dos Santos e Luiz Eduardo de Oliveira. Os autores refletem sobre como o processo de circulação, recepção e apropriação do rock no Brasil, na década de 1980, provocou o surgimento de novas identidades.

Concluindo a seção de artigos, Edson Silva discute as transformações urbanísticas e empreendidas na cidade de Jacobina, em meados da década de 1950. O autor analisa as medidas desenvolvidas em prol da limpeza, do saneamento e embelezamento das ruas de Jacobina, apontando também para os constantes tensionamentos entre a execução dessas ações e as práticas da população da cidade.

Apresentamos, por fim, a resenha de Raquel Anne de Assis sobre o livro “Guerra Secreta: A CIA, um exército invisível e o combate nas sombras”, de Mark Mazzetti; e a resenha da obra “Direita, volver! O retorno da direita e o ciclo político brasileiro”, de Sebastião Velasco e André Kaysel, escrita por Pedro Oliveira, que encerram este multifacetado número dos Cadernos.

Desejamos a todos uma ótima leitura!

 Os Editores

Publicado: 2017-04-01