REFORMING THE INTERNATIONAL FINANCIAL SYSTEM? ACCESSING THE DEPTHS OF NEW DEVELOPMENT BANK’s (NDB) OPERATIONS

Resumo

O Sistema Financeiro Internacional é composto por organismos intergovernamentais, regionais, multilaterais, além de organismos privados e da sociedade civil organizada. Tal interdependência é capaz de influenciar fluxo, determinar coalizões e decidir sobre regulamentação, transparência e conformidade. Há muito tempo países desenvolvidos ditam as regras principais do jogo e submetem países emergentes às regras conforme seus interesses. Na gama de atores hegemônicos exsurge o conglomerado formado por Brazil, Russia, India, China and South Africa (BRICS) que recentemente institucionalizaram o New Development Bank, órgão financeiro responsável por complementar o sistema com investimentos em infraestrutura para o desenvolvimento sustentável em países do Sul global. Seria o início de um desmonte reformista? O presente estudo perquirirá os documentos e reportes financeiros do Banco a fim de qualitativamente demonstrar se o caráter reformista do NDB é pertinente ou apenas mais uma instituição a seguir regras em uma arquitetura já inflada.

Biografia do Autor

Adynaer Geraldo Maia da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Formado em Bacharelado em Direito pelo Centro Universitário de João Pessoa, Estudante do curso de Ciências Contábeis e da Pós-graduação em nível de mestrado acadêmico do Programa de Gestão Pública e Cooperação Internacional, ambos pela Universidade Federal da Paraíba, atua como Servidor Público na Pró-reitoria de Gestão de Pessoa da UFPB

Elia Elisa Cia Alves, Universidade Federal da Paraíba
Professora adjunta no Departamento de Relações Internacionais (DRI) da UFPB; professora no Programa de Pós Graduação em Gestão Pública e Cooperação Internacional (PGPCI) da UFPB e pesquisadora do Núcleo de Pesquisas em Política Comparada e Internacional (NEPI - UFPE). Doutora em Ciência Política pelo DCP (UFPE), com estágio pós-doutoral de 1 ano, financiado pelo programa PNPD, CAPES. É mestre em Economia pela Unicamp (2012), Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (USP) (2008) e Bacharel em ciências econômicas pela Unisul (2016). Atuou como professora Adjunta no DCP (UFPE), prof. Substituta no DRI (UFPB) em (2018) e na UEPB (2013-2015; 2017). Também atuou como professora substituta na UFPE no Departamento de Economia (2013) e na pós-graduação da Furne. Esteve em licença maternidade em 2015.2 e em 2019.1. Desenvolve estudos em Economia Política Internacional; Política Ambiental; Difusão de Políticas; Política Energética; Metodologia e Ensino em Relações Internacionais.
Publicado
2020-03-03
Seção
Edição Especial: Seminário Sino-Brasileiro