Pandemia x pandemônio:

o cotidiano da periferia no noticiário

Resumo

Assume-se no artigo que a cobertura do cotidiano da periferia brasileira poderá ganhar uma dimensão ainda não explorada com o surgimento da pandemia de Covid-19. Enfrentada concomitantemente à polarização política brasileira, a emergência sanitária permitiu à oposição cunhar a noção de pandemônio como denominação aplicável a divergências na política pública de combate à pandemia. A materialização da periferia metropolitana, tratada como o lugar simbólico dos mais pobres, se articula às condições narrativas e discursivas instauradas pela ordem da noticiabilidade, responsável por expressar as condições de trato dos acontecimentos. A análise empírica de matérias jornalísticas veiculadas on-line que exploram o (não) enfrentamento da pandemia na periferia brasileira junto ao estudo de postagens em plataformas de mídia social expõem resultados que decalcam o imaginário de caos aplicável à noticiabilidade da periferia metropolitana em capas de revistas do período 1994-2014 para a situação atual.
Palavras-chave: Periferia. Noticiabilidade. Pandemônio. Pandemia. Covid-19.

Biografia do Autor

Ada Cristina Machado Silveira, Universidade Federal de Santa Maria - CNPq

Professora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal
de Santa Maria (POSCOM/UFSM)

Camila Hartmann , Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em jornalismo, mestra e doutoranda no Programa de Pós-graduação em Comunicação. da UFSM.

Bruno Kegler, Universidade Federal de Santa Maria

Graduado em Publicidade e propaganda e mestrado em Comunicação pela UFSM, doutor em Comunicação pela UFRGS. Realiza estágio pós-doutoral na UFSM. 

Publicado
2021-01-01
Seção
DOSSIÊ