Sobre Cocares e Máscaras

Estratégias das Lideranças Indígenas em Manaus no Enfrentamento à Covid-19

  • LUCIANO CARDENES Universidade do Estado do Amazonas/ UFAM
  • DEISE LUCY MONTARDO Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Resumo

 Manaus, capital do Amazonas, foi uma das primeiras cidades brasileiras a se tornarem epicentro da pandemia do Covid-19. Entre os meses de março e abril, os índices de adoecimento e morte foram altíssimos e causaram o colapso do sistema de saúde. Como no restante do mundo, a pandemia ressaltou problemas que já existiam. No caso de Manaus, a população indígena que habita a cidade e seus entornos, sofreu um impacto muito grande e através de suas lideranças e associações teve uma reação também forte. Neste artigo apresentamos, uma etnografia feita nos contextos digitais, aliada a literatura produzida sobre o tema da presença indígena na cidade de Manaus. Apresentamos brevemente, algumas das associações indígenas da cidade de Manaus e estratégias por elas desenvolvidas no momento da explosão dramática dos casos da doença no Estado do Amazonas.

Palavras-chave: Povos indígenas, Manaus, Covid-19, resistência, etnografia em contextos digitais

Biografia do Autor

LUCIANO CARDENES, Universidade do Estado do Amazonas/ UFAM

  Doutor em Antropologia Social. Professor do Curso de Pedagogia Intercultural para Professores Indígenas do Vale do Javari e pesquisador associado ao Núcleo de Estudos sobre Etnografia & Educação Escolar Indígena na Amazônia da UEA. Membro do Núcleo de Políticas Territoriais na Amazônia (NEPTA-UFAM). 

DEISE LUCY MONTARDO, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

 Doutora em Antropologia Social. Professora da Universidade Federal do Amazonas. Pesquisadora do Instituto Brasil Plural. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Maracá, estudos sobre arte, cultura e sociedade.

Publicado
2021-01-01
Seção
DOSSIÊ