A constituição dos sujeitos políticos por meio da experiência de tratamento de adictos em recuperação em comunidades terapêuticas

  • Priscila Farfan Barroso UFRGS

Resumo

O artigo apresenta a construção dos sujeitos políticos relacionados aos “adictos em recuperação” que passaram por tratamento em comunidades terapêuticas e têm se mobilizado politicamente para incluir esse
modelo nas políticas públicas. A partir da pesquisa de doutorado, foi realizada a etnografia, entre 2017 e 2019, junto às federações estaduais de CTs, atores governamentais e conselheiros de políticas sobre drogas no contexto do Rio Grande do Sul. Desde o acolhimento nas instituições, os “adictos em recuperação” assumem diferentes papéis sociais, percorrendo uma “carreira moral” ascendente, afastando-se da
identidade do usuário de drogas e constituindo uma nova identidade, vinculada à vida em “sobriedade”. Entre eles forma-se uma “comunidade política” que pode ser acionada para defender a causa das CTs
frente ao Estado.

Biografia do Autor

Priscila Farfan Barroso, UFRGS

Doutora em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Publicado
2021-07-12
Seção
DOSSIÊ