ELITES DIRIGENTES, ENGAJAMENTO POLÍTICO E RETRIBUIÇÕES DO MILITANTISMO AMBIENTALISTA

  • Wilson José Ferreira de Oliveira

Resumo

Esse artigo examina as relações entre elites dirigentes e modos de reconversão do engajamento político. Trata-se de analisar as condições e as lógicas sociais que fundamentam os usos da militância na defesa de causas ambientais para a inserção e a ocupação de posições dirigentes em esferas de atividade diversificadas. Para dar conta disso, são confrontadas as abordagens centradas na constituição ou posição social dos atores políticos e as que focalizam as lógicas processuais e as ações que estruturam suas concepções e práticas individuais. A metodologia utilizada consistiu na realização de entrevistas biográficas com três gerações distintas de ativistas do Rio Grande do Sul, focalizando suas condições sociais de origem, os significados associados ao uso da formação escolar na militância, as principais modalidades de carreiras militantes e os tipos de recursos e de vínculos sociais que fundamentam o exercício da militância. A pesquisa demonstrou que o ambientalismo constitui um espaço de reconversão de diferentes tipos de recursos sociais (familiares, escolares, políticos e profissionais), oferecendo retribuições e postos dirigentes aos militantes em esferas de atividade diversificadas com base na participação simultânea em múltiplas redes sociais.
Publicado
2008-10-10
Seção
Artigos